Em Linhas Gerais

E Linhas Gerais – Mais uma vez foram condenados notórios políticos do estado – por Gessi taborda

CAPITULO FINAL

herminioMarcada para começar hoje (27), às 14 horas, no Talismã, a convenção do PSD rondoniense terminará com o suspense envolvendo o projeto eleitoral de José Hermínio, o presidente da Assembleia Legislativa. José Hermínio foi durante muitos anos membro do PT, de onde precisou sair ao assumir uma postura claramente de oposição ao ex-prefeito petista de Porto Velho.

Do PT foi diretamente para o PSD. Aqui em Rondônia o partido criado pelo ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, surgiu como oportunidade para Hermínio disputar a prefeitura da capital. Mas esse projeto – no princípio incensado pelo próprio deputado Moreira Mendes – presidente regional do PSD foi abortado no último minuto, em nome de uma aliança negociada por Mendes com o PSDB, garantindo Mariana Carvalho, vereadora debutante, como a candidata a prefeita.

Daquela vez o deputado José Hermínio nem entrou em controvérsias. Apoiou, ele mesmo, a postulação da jovem Mariana que não se elegeu mais teve uma votação “espetacular” na disputa em que Mauro Nazif se tornou o alcaide da melancólica cidade de Porto Velho.

A convenção de hoje põe ponto final ao imenso volume de fofocas e informes dando conta, algumas vezes, de que José Hermínio não teria garantias nem mesmo se candidatar a reeleição de deputado estadual. Ontem à tarde surgiu uma surpreendente conversa nos bastidores da política de que a Convenção do PSD de hoje poderia até lançar o deputado presidente da Assembleia na disputa majoritária.

OPOSIÇÃO GENUÍNA

herminioA desdita de Moreira Mendes, com a confirmação de sua inelegibilidade por condenação no chamado “Escândalo das Passagens Aéreas” ocorrido na Assembleia Legislativa, impedindo-o de disputar (o que desejava) uma vaga no Senado ou qualquer outro cargo eletivo, poderá mudar o relacionamento do PSD com seu mais importante quadro no estado. Hermínio, diziam as “cassandras” dos corredores da Assembleia vai ter seu nome homologado pelos convencionais para “o cargo que quiser disputar”.

O deputado José Hermínio, um modesto e pobre sertanejo pernambucano está ai, terminando um mandato eleitoral como presidente da Assembleia, cois que nunca pensou. E nessa seara transformou-se numa potência política, eleitoral, como oposição genuína ao governo. Poderia hoje ter o seu nome confirmado pelos convencionais como candidato ao governo estadual.

Mas isso é quase impossível de acontecer, mesmo com a débâcle de Moreira Mendes. Afinal, mais uma vez o PSD invalidou o projeto de ter Hermínio na disputa majoritária. Nada surpreendente que tente um reeleição para deputado estadual, se tornando presidenciável da Casa pela 3ª vez.

CONDENADOS

CONDENMais uma vez foram condenados notórios políticos do estado, flagrados em operações da Polícia Federal (Dominó) em operações de desvio de dinheiro público na Assembléia Legislativa. Segundo as investigações feitas à época em que Carlão de Oliveira presidiu o legislativo estadual, o “Escândalo da Folha Paralela” aconteceu, desviando cerca de 11 milhões, garantindo o enriquecimento ilícito de vários parlamentares.

Muitos desses condenados estão “fora” da vida pública. Outros, no entanto, mantêm grande nível de influência na política e (alguns) até ocupam cargos (eletivos) importantes. A rigor nenhum dos condenas sofre, até agora, coisa alguma.

Vê-los pelas ruas – ou até mesmo tentando disputar mais uma eleição – dá a impressão de que continuam impunes. Na administração pública ou negócios rendosos principalmente pelos gordos contratos mantidos com o próprio governo. Isso acontece especialmente no segmento da mídia, onde um desses “capôs” está condenado não só pela formação de quadrilha e pelos desvios, mas também pela lavagem de dinheiro.

SEM MANDATO

mmO que um político já entrando no segmento da idade avançada, que já foi senador e completa um mandato de deputado federal, como é o caso de Moreira Mendes, vai fazer da vida pública sem mandato? Bom, Moreira poderia seguir o caminho de outros personagens, como Miranda Botelho (que sonhava em ser governador e terminou sua carreira como ultimo presidente da Ceron) ou, quem sabe, como Miguel de Souza que depois de vice-governador e deputado federal conseguiu um senhor cargo público no DNIT, esse órgão com uma imensa dívida com Rondônia sem data para ser resgatada.

PORNOGRÁFICA

Algumas das alianças a serem homologadas para convenções realizadas até o último dia do mês mais parece, como disse um desses aguçados filósofos de boteco, mais parece uma “suruba partidária”.

2016 E 2018

eleiçõeseeÚltimas horas para os tucanos dar o ok final ao nome de Expedito Júnior como candidato à sucessão estadual. E nem assim há garantias total de que essa “candidatura” será homologada pela Justiça Eleitoral. Até parece que o próprio Expedito não sabe de sua verdadeira situação de inelegibilidade. Ontem alguém explicava porque o PSDB não procurou um nome sem dramas na ficha, preservando Expedito para o momento em estivesse livre da sentença aplicada pela Justiça por compra de votos, num processo que o tirou do próprio Senado. “Ele pretende marcar fortemente sua presença nas eleições – enquanto a Justiça não interferir – já de olho em 2016 e 2018”. Como é novíssimo, deve imaginar que as datas estão a favor dele.

DIVIDA DO BERON

GLORIANão deixa de ser alvissareira a suspensão da dívida do Beron, através da qual a União vinha sugando o erário rondoniense, em algo próximo dos 15 milhões. Mas, como observou o deputado José Hermínio, presidente da Assembleia, “ideal mesmo é a extinção dessa dívida” que teve origem na liquidação do Banco do Estado de Rondônia, exatamente quando o PMDB mandava no estado através de Valdir Raupp.

Essa importante decisão é do STF. Nem por isso estaremos livres da manipulação política desse fato por aqueles que estarão participando do processo eleitoral. São os mesmos maquiadores da realidade (através da publicidade) com a intenção de enganar a população.

TRATORANDO INVESTIDORES

dilma-presidente (1)Com qual autorização Dilma resolveu conceder sem licitação áreas do pré-sal à quase falida Petrobrás? Esqueceu-se a “governanta” de que a estatal tem milhares de investidores, acionistas que são trabalhadores e empenharam o seu FGTS esperando por lucros? Essa atitude autoritária tem o fim de fazer caixa para fechar as contas públicas, em mais uma clara manobra pouco republicana.

Tiraram do nada R$ 2 bilhões de uma sacada só da Petrobrás e as ações despencam. Podem até enganar os acionistas e até alguns menos avisados do povão, mas os investidores e as agências que avaliam a nossa combalida economia não engolem mais sapos.

 

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese