Mundo

Reino Unido detecta primeiros casos da variante Ômicron

Segundo o secretário britânico da Saúde, Sajid Javid, os contágios foram identificados em Nottingham e Chelmsford, na Inglaterra.

O Reino Unido confirmou neste sábado (27) os dois primeiros casos da variante Ômicron do novo coronavírus no país. Segundo o secretário britânico da Saúde, os contágios foram identificados em Nottingham e Chelmsford, na Inglaterra, e os infectados estão em isolamento, bem como suas famílias.

“Isso é um alerta de que a pandemia ainda não acabou”, declarou Javid, acrescentando que as autoridades sanitárias estão conduzindo testes nas duas áreas onde os casos – que estão interligados – foram detectados.

O secretário também disse que os contágios estão “relacionados” ao sul da África, a partir de onde a variante do Sars-CoV-2 começou a se espalhar. Além da África do Sul, a Ômicron também já foi identificada na vizinha Botsuana, na Bélgica, em Hong Kong e em Israel.

Seis países africanos – África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue – já foram incluídos na lista vermelha de viagem do governo britânico, o que significa que pessoas provenientes desses territórios precisam cumprir quarentena de 10 dias na chegada.

O Reino Unido também vai colocar Angola, Moçambique, Malauí e Zâmbia na relação. Outros países, como a Itália, foram mais longe e proibiram a entrada de quaisquer pessoas que tenham transitado pelo sul da África nos 14 dias anteriores à viagem.

Nos Países Baixos, 61 indivíduos que chegaram em Amsterdã em dois voos provenientes da África do Sul testaram positivo para a Covid-19 e foram isolados em um hotel, mas ainda não se sabe se os casos estão ligados à variante Ômicron.

A África do Sul, por sua vez, já detectou mais de 2,8 mil contágios pela nova variante, mas reclamou das restrições de viagem. “Essa última onda de vetos equivale a punir a África do Sul por ter sequenciado as mutações e por sua capacidade de detectar novas variantes rapidamente. A excelência científica deveria ser aplaudida, não punida”, disse o governo.

A Ômicron reúne cerca de 50 mutações na proteína spike, espécie de coroa de espinhos que reveste o Sars-CoV-2 e é usada pelo vírus para atacar as células humanas. Como a maior parte das vacinas disponíveis se baseia nessa proteína, existe o temor de que a variante possa ser resistente aos imunizantes. 

FONTE: ANSA

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese