Politica

Contas de Roberto Sobrinho cochilam no TCE e ex-prefeito segue livre fazendo pré-campanha

Porto Velho, Rondônia – Enquanto percorre o Estado tentando emplacar o nome do deputado federal Padre Ton (PT) ao Governo, na posição de principal articulador, um fantasma que poderia assombrar as pretensões políticas de poder do ex-prefeito Roberto Sobrinho (PT) está adormecido.

É que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) ainda não encaminhou para a Câmara de Vereadores as contas da prefeitura, referentes ao último ano da gestão desastrosa de Sobrinho.

As tais contas contêm inúmeros indícios de irregularidades, já atestadas pelo TCE, entre elas a não aplicação dos 25% previstos para a educação, e se forem rejeitadas pelos vereadores, Roberto estaria inelegível para disputar as eleições de outubro próximo, quando deverá tentar uma vaga na Câmara Federal.

Alguns vereadores já enviaram ofício ao TCE, cobrando o envio do parecer sobre as contas de Roberto e sua trupe, sem sucesso. Mesmo que o Tribunal rejeite a prestação de contas do ex-prefeito, somente com a rejeição por parte da Câmara Municipal é que ele se tornaria inelegível.

Em exercícios anteriores, o TCE chegou a recomendar a não aprovação das contas de Roberto, mas ele detinha maioria na Câmara Municipal, que preferiu aprovar o que os técnicos dos tribunais atestaram como irregular.

Novamente, mesmo que a Corte de Contas rejeite a prestação de Sobrinho, somente se os vereadores as reprovarem é que ele ficaria inelegível. Dificilmente isso ocorrerá pois o ex-prefeito conta com uma tropa de choque no parlamento municipal, que vai mover céus e terra para defender a sua gestão.

Veja o parecer prévio do TCE sobre as contas de Sobrinho:

DECISÃO

Segundo o Tribunal de Contas, duas ex-secretárias municipais de Educação à época de Sobrinho foram responsabilizadas. Uma das ilegalidades apontadas pelo TCE foi a não aplicação de 25% do orçamento na educação.

Trecho do relatório elaborado pelo conselheiro Wilber Coimbra diz: “Houve a infringência ao artigo 212 da Constituição Federal, no que tange a aplicação dos 25%, no Ensino Fundamental, pois constatamos que o município em análise aplicou o montante de R$ 85.281.715,75 (oitenta e cinco milhões, duzentos e oitenta e um mil, setecentos e quinze reais e setenta e cinco centavos), correspondente ao percentual de 15,26%, portanto abaixo do mínimo legal exigido”.

Williames Pimentel, que hoje é titular na pasta de Saúde do Estado, também foi indicado no relatório como responsável por irregularidades ocorridas na área da saúde municipal: “Descumprimento do artigo 198, da Constituição Federal c/c o artigo 20 da Instrução Normativa nº 22/TCER-2007, por inserir despesas em ações e serviços públicos de saúde de exercícios anteriores no Anexo XIIIA, num total de R$ 6.022.182,47 (seis milhões, vinte e dois mil, cento e oitenta e dois reais e quarenta e sete centavos), que já foi objeto de computo para a aplicação em Gastos e Ações Públicas de Saúde em seus respectivos exercícios”, destacou Coimbra.

Roberto Sobrinho também teria feito uso de mais de R$ 290 milhões sem passar pelo crivo da Câmara de Vereadores e isso, de acordo com o conselheiro relator, viola lei municipal adicionando mais uma irregularidade.

Fonte:Rondonoticias

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes Oliveira

1 Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Olha ai pessoal vamos ficar atentos nos aliados de nossos representantes politicos tbm… olhos atentos para termos um Estado melhor..

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese