Mundo

O combate de Angelina Jolie contra a violência sexual

“É um mito que as violações sejam consequência inevitável dos conflitos”.

Palavras de Angelina Jolie, na cimeira sobre a violência sexual em zonas de conflito, que começou esta quarta.-feira, em Londres.

A atriz prosseguiu, afirmando que “a violação é uma arma de guerra dirigida à população civil” e que “não tem nada a ver com o sexo, mas, sim, com o poder”.

Embaixadora da boa vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, Jolie apelou à comunidade internacional que trabalhe pela justiça e pela lei. “Pedimos uma vontade política mundial e precisamos que este assunto se torne uma prioridade”, afirmou.

A cimeira foi inaugurada esta manhã, pelo ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, William Hague e vai decorrer até sexta-feira.

Durante a sessão de inauguração, o chefe da diplomacia britânica anunciou que o Reino Unido vai doar 6 milhões de libras (7,4 milhões de euros) para ajudar as vítimas de crimes sexuais, um montante que vai somar-se aos anteriores donativos do executivo de Londres, de cerca de 173 milhões de euros.

William Hague salientou que a violação de mulheres e crianças durante as guerras é “um dos maiores crimes em massa dos séculos XX e XXI” usados de forma “deliberada e sistemática” contra as populações civis em todos os continentes e em países como a Síria, o Congo, o Ruanda e a Colômbia.

Os encontros e debates sobre violência sexual em zonas de conflito, antecedem uma reunião de alto nível na próxima sexta-feira, na qual ministros de mais de cem países deverão firmar um protocolo internacional para acabar com as violações e abusos de mulheres como arma de guerra.

No âmbito deste protocolo, haverá um maior reforço a nível judicial e mais apoio às vítimas.

Na sessão de encerramento desta cimeira estarão presentes o secretário de Estado norte-americano, John Kerry e o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki Moon participará através de videoconferência.

O caso das 200 adolescentes sequestradas pelo grupo Boko Haram na Nigéria será também debatido em Londres. O ministro nigeriano dos Negócios Estrangeiros, assim como representantes dos estados do Benin, Tchad, Camarões e Niger participam nos debate

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes Oliveira

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese