Interessante

Ministério da Saúde autoriza repasse de R$ 127 milhões para compra de medicamentos

Crédito ocorre após falta de remédios e insumos médicos nos últimos meses nos estados, municípios e Distrito Federal

Ministério da Saúde autorizou o repasse de quase R$ 127 milhões para compra de medicamentos nos estados, municípios e Distrito Federal de julho a setembro. O crédito ocorre após o desabastecimento, nos últimos meses, de remédios e insumos médicos, como antibióticos, antialérgicos, antitérmicos e soro fisiológico. A medida foi autorizada em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (28). 

De acordo com a decisão, os fundos de saúde estaduais, municipais e do DF vão receber o valor mensal de mais de R$ 42 milhões para compra de medicamentos, órteses, próteses e materiais especiais do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os valores foram estabelecidos considerando as informações aprovadas pelos estados e municípios — em março, abril e maio de 2022 —, no Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA) do SUS.

Para o estado de Goiás, foi feito um ajuste maior, no valor total de R$ 1,79 milhão, referente ao reprocessamento dos valores apresentados no SIA/SUS no período de dezembro de 2021, janeiro e fevereiro de 2022. O valor será pago dividido em três parcelas de R$ 599 mil cada.

Desabastecimento

Levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), divulgado no último dia 15, informou que remédios estão em falta em oito de cada dez municípios do país. A pesquisa foi feita com 2.469 prefeituras. As cidades relatam ausência de estoque na rede pública principalmente do antibiótico amoxicilina, usado contra infecções, e do anti-inflamatório dipirona, indicado para tratar dores e febre.

A falta de amoxicilina foi apontada por 68% dos municípios — ou 1.350 cidades, em números absolutos. Já a ausência de dipirona na rede de atendimento municipal (anti-inflamatório, analgésico e antitérmico) foi citada por 65,6% (1.302 cidades).

Destaca-se também a escassez de dipirona injetável, que é usada para tratar dores e febre — que está em falta em 50,6% das cidades — e de prednisolona, indicada para o tratamento de alergias, distúrbios endócrinos, entre outras doenças. Ao todo, 45,3% das cidades relataram não ter estoques deste último medicamento.

FONTE: R7.COM

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese