Mundo

Líbano está à beira do colapso dois anos após a superexplosão no porto de Beirute

Políticos tentam evitar investigação enquanto país enfrenta a crise econômica mais grave de sua história

O Líbano recorda nesta quinta-feira (4) o segundo aniversário da grande explosão que devastou Beirute, um dia marcado por protestos das famílias das vítimas, que exigem justiça.

A explosão no porto de Beirute, provocada por nitrato de amônio armazenado de maneira incorreta, deixou mais de 200 mortos, milhares de feridos e destruiu grandes áreas da capital do país.

Mas a investigação sobre as causas da explosão permanece estagnada por interferência política e nenhuma autoridade estatal foi responsabilizada pela tragédia de 4 de agosto de 2020.

Vários silos de grãos muito danificados, que serviam como tristes símbolos do desastre, desabaram na semana passada. E outros estão em perigo de colapso, alertaram especialistas.

“Espero que, ao observar o desabamento dos silos, as pessoas tenham o desejo de lutar por justiça, combater ao nosso lado”, declarou Tatiana Hasrouty, que perdeu o pai na explosão.

“Os políticos estão fazendo todo o possível para impedir a investigação”, disse.

A megaexplosão representou um momento de pesadelo para o Líbano, país que enfrenta a crise econômica mais grave de sua história, marcada por apagões, inflação fora de controle e desânimo generalizado.

Os manifestantes programaram três marchas que devem se encontrar no porto, onde persiste o odor de fumaça. Na área dos silos, os grãos em fermentação ardem no forte calor do verão.

PESADELO

Equipes de resgate e voluntários trabalhando em prédio afetado pela explosão em Beirute

A explosão provocou uma devastação geralmente observada em cenários de guerra ou desastres naturais. 

Também agravou a situação de uma população já afetada pela crise e acelerou o êxodo dos libaneses, algo que recorda as saídas registradas durante a guerra civil de 1975-1990.

Os políticos do país, acusados de corrupção e negligência, se aferram ao poder, no momento em que a população enfrenta escassez de água potável, medicamentos e combustíveis.

“Estes governantes nos matam a cada dia”, disse Hasrouty. “Os que não morreram na explosão estão morrendo de fome”.

Os apagões duram até 23 horas por dia, as ruas permanecem no escuro durante a noite e os sinais de trânsito não funcionam.

Lara Khatchikian, de 51 anos, que teve o apartamento impactado pela explosão, observa as chamas nos silos de grãos e chama a situação de “pesadelo”.

“Eu e meus vizinhos permanecemos estressados o tempo todo. Senti medo, não conseguíamos dormir. Você precisa de uma força sobre-humana para viver quando é constantemente lembrado da explosão”, explicou.

O governo ordenou em abril a demolição dos silos, mas a medida foi suspensa em parte pelas objeções dos parentes das vítimas, que desejam a manutenção dos locais como um memorial.

O engenheiro civil francês Emmanuel Durand, que monitora os depósitos, advertiu que o risco de outro colapso parcial “nunca foi tão elevado” e pode acontecer a “qualquer momento”.

A investigação, no entanto, corre o risco de terminar porque as autoridades limitaram o trabalho do juiz Tarek Bitar com uma série de ações legais.

Uma fonte judicial que acompanha o caso afirmou que o trabalho do juiz Bitar está paralisado desde 23 de dezembro.

As famílias das vítimas estão divididas: algumas acusam Bitar de tendencioso e outras o consideram sua única esperança.

Anistia Internacional, Human Rights Watch e outras organizações pediram à ONU para enviar uma missão de verificação ao país.

Em um comunicado, as organizações afirmam que “está claro que a investigação interna não poderá fazer justiça”.

FONTE: AFP

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese