Esporte

Felipão ainda mira pontuação de segurança na Série B e pede reflexão ao Cruzeiro para 2021

Treinador admite dificuldades de criação contra a Ponte Preta, mas evita apontar outros erros da equipe no jogo: “Não adianta explicar a vocês, tenho que procurar explicar aos jogadores”

A cada rodada que passa, o Cruzeiro fica mais distante do sonho do retorno à Série A do Campeonato Brasileiro. O fato desanimador, desta vez, foi a derrota por 2 a 1 para a Ponte Preta, de virada, em Campinas, na noite dessa terça-feira. Luiz Felipe Scolari, oficialmente, ainda não fala em planejamento para 2021. Quer, primeiro, garantir a equipe na Série B, já que a briga quando ele chegou era contra o rebaixamento.

A distância para o G-4 (objetivo no início da competição) ao fim da 31ª rodada poderia ser de seis pontos, em função do tropeço do Juventude diante do Operário. Com a derrota em Campinas, o Cruzeiro seguiu com 40, a nove do time gaúcho. É hora, então, de começar a planejar 2021 com o time na Série B?

Felipão diz que antes de esse assunto ser tratado, o Cruzeiro precisa chegar aos pontos necessários para garantir permanência na segunda divisão. Nas contas dele, como dito em outras entrevistas, 43/44 pontos dão segurança.

– Tenho que resolver a minha parte dentro de campo, e a minha parte nós temos conversado sobre algumas situações, mas, em primeiro lugar, precisamos conversar sobre a situação atual. A situação atual ainda nos preocupa, e vamos esperar ter uma situação definitiva de conversa, de acerto e de detalhes, quando estivermos com os pontos garantido pelo menos para a permanência na Série B.

Apesar do discurso de ainda pensar em 2020, Felipão diz, tratando o resultado contra a Ponte Preta como desanimador, que é preciso fazer uma reflexão do que será feito em 2021.

– Nós estamos trabalhando todos os dias para termos detalhes de uma equipe futura melhor do que estamos hoje. (O resultado) É desanimador? Claro que é desanimador para todo mundo. Não só para vocês, para o torcedor, mas para os jogadores e para o técnico, principalmente.

“Temos que fazer uma reflexão, em todos os sentidos, para saber o que realmente nós vamos fazer com o Cruzeiro no ano que vem e o que pode fazer, em razão de tudo isso que aconteceu este ano”

Sobre a derrota para a Ponte

 

O Cruzeiro saiu na frente muito rápido, aos 10 minutos, com Manoel. Depois, pouco incomodou o goleiro adversário. Também sofreu pouco, mas teve duas falhas que não foram perdoadas pela Ponte.

Felipão foi questionado se o estilo de jogo reativo, sem volume, seria o máximo possível de ser apresentado com o atual elenco. Preferiu não levar para este lado, admitindo apenas as dificuldades no duelo em Campinas.

– Hoje, sim. Outro dia, não. Outro dia estivemos melhores, em algumas outras oportunidades estivemos em situação melhor, criando mais, mas hoje foi isso que aconteceu. A gente tem perdido os jogos em questões de detalhes, de posicionamento, atenção, que não estamos tendo em determinados lances, e pagamos um preço mais caro.

Felipão também foi questionado se o “pecado” da equipe foi não ter tentado liquidar o jogo quando vencia por 1 a 0. O discurso adotado pelo treinador foi mais direcionado a elogiar o time da Ponte do que a criticar o Cruzeiro. Segundo ele, a explicação sobre os erros tem que ser dada aos jogadores, mostrando o que é necessário evoluir.

– Nós pecamos, porque tínhamos 11 adversários do outro lado, também. Eles também fazem o jogo tentando ganhar, se colocam em situações que não nos dão oportunidades, e nós perdemos. Não adianta eu tentar procurar explicar a vocês, eu tenho que procurar explicar aos jogadores, melhorar a situação dos meus atletas, para que a gente possa ter atuações como já tivemos.

“Não é que nós jogamos com a bola debaixo do braço… nós queremos fazer dois ou três gols, mas a questão é nós não conseguimos e, além de não ter conseguido, o adversário também tem jogadores que nos colocam nesta situação”

 

Ainda sobre a postura reativa da equipe e falando também sobre ter modificado a equipe apenas após os gols da Ponte Preta, Felipão disse que, se é preciso achar um culpado pelo resultado, o culpado foi ele.

– A minha intenção era ganhar o jogo. Não ganhamos. O resultado não foi o esperado e, então, perdemos e temos que achar um culpado. O culpado fui eu. Não troquei, não fiz isso, não fiz aquilo, o culpado fui eu.

FONTE: GLOBOESPORTE.COM – GE.COM

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Marcio Martins martins

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese