Mundo

Chile terá plebiscito em abril para mudar Constituição da era Pinochet

Sebástian Piñera promulgou lei que prevê consulta à população sobre se deve ser feita a mudança no texto constitucional e qual órgão deverá fazê-lo

O presidente do Chile, Sebástian Piñera, promulgou a lei que estabelece a realização de um plebiscito sobre a revisão da Constituição chilena, que ainda data da era Pinochet.

A lei foi proposta pela Comissão de Constituição por aprovada pelo Parlamento chileno em 19 de dezembro e promulgada nesta segunda-feira (23).

A mudança na Constituição é uma das principais reivindicações dos protestos que ainda tomam conta das ruas do Chile.

Muitos chilenos culpam o atual texto, escrito durante a ditadura de Augusto Pinochet, pelas grandes desigualdades do país e alegam que ele deu ao Estado um papel secundário no fornecimento de recursos básicos.

Reforma ou nova Constituição?

Piñera assinou o documento no Palácio de la Moneda, sede do Poder Executivo, onde explicou que a consulta popular, marcada para 26 de abril, servirá para avaliar se os chilenos querem uma nova Constituição ou uma reforma da atual, criada em 1980 durante a ditadura de Augusto Pinochet.

“Esta reforma abre as portas e define o caminho para alcançar um grande acordo constitucional que nos dará esse quadro institucional sólido, legítimo e compartilhado para poder enfrentar como país os formidáveis desafios do presente e as magníficas oportunidades do futuro”, disse.

“Talvez o que vivemos nos últimos 66 dias, desde 18 de outubro, seja um sinal claro e eloquente desta mudança. É por isso que hoje é a primeira vez que temos a oportunidade de alcançar, em total liberdade e em plena democracia, um grande acordo constitucional com ampla e efetiva participação popular”, afirmou.

Comissão ou Assembleia Constituinte?

O acordo parlamentar inclui a convocação de um plebiscito para perguntar aos cidadãos se querem uma nova Constituição e que mecanismo preferem para sua elaboração: uma convenção mista, composta igualmente por parlamentares atuais e cidadãos eleitos, ou uma assembleia composta apenas por pessoas escolhidas exclusivamente para esse fim.

Se o plebiscito for aprovado, a eleição dos membros de ambos os órgãos será realizada em outubro de 2020, coincidindo com as eleições regionais e municipais, e a nova Constituição será ratificada em outro plebiscito com sufrágio universal e obrigatório.

 

FONTE; R7.COM COM EFE

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese