Politica

Câmara aprova orçamento de mais de R$ 1,3 bi para Porto Velho em 2017

Câmara terá R$ 32,1 milhões; para o Turismo foi destinado R$ 10,5 mil.
Valor aprovado pode ter remanejamento de, no máximo, 20%.

O projeto do orçamento do município de Porto Velho para 2017 foi aprovado nesta semana pela Câmara Municipal de Vereadores. No total, a capital terá mais de R$ 1,3 bilhão para gastar no próximo ano. O valor aprovado pode ter remanejamento de, no máximo, 20%, desde que seja autorizado pelo Legistativo Municipal, caso a prefeitura queira mais recursos.

Na distribuição da verba, a Câmara Municipal de Vereadores ficou com R$ 32,1 milhões. De acordo com o presidente da comissão de orçamento, Marcelo Reis (PSD), o valor para 2017 é menor do que foi orçado para este ano e, por isso, demissões e reduções de cargos comissionados serão necessárias.

“Nós somos obrigados a demitir servidores a partir de outubro, talvez pelo planejamento não adequado, mas para o exercício de 2017 nós tivemos que reinventar. (…) O orçamento da câmara é inferior ao de 2016, então, em 2017, a nova mesa diretora obrigatoriamente vai ter que fazer redução. A comissão do orçamento já apresenta proposta para gente reduzir em quase 50% o número de cargos comissionados nessa casa, reduzir pelo menos 30% os cargos de diretores nessa casa”, explicou Reis.

Para a Secretaria Municipal de Obras (Semob) foi projetado o gasto de R$ 35,3 milhões, já a Procuradoria Geral do Município (PGM), que cuida principalmente dos processos da prefeitura, terá o orçamento de R$ 33,9 milhões. Para o Fundo de Desenvolvimento de Turismo foi destinado R$ 10,5 mil para todo o ano de 2017.

Para o técnico em orçamento, Jailton Viana, a falta de investimento no turismo pode refletir na economia do município. “Uma cidade que ela não tem turismo, ela não possui investimento no setor, e se não tem investimento no setor, não tem arrecadação. As pessoas confundem muito investimento a médio e longo prazo, que poderiam trazer retornos comerciais para o município com despesas convencionais”, explicou.

Caso o prefeito eleito queria mais recursos ele deverá solicitar a câmara de vereadores. “O remanejamento que a comissão de orçamento está deixando para a prefeitura a partir de 2017 é de no máximo 20%. (…) Se o prefeito precisar fazer um ordenamento de despesa fora daquilo que está programado no orçamento ele vai ter que pegar autorização aqui”, explicou Reis.

Na ocasião que aprovou o orçamento para 2017, a prestação de contas do atual prefeito Mauro Nazif referente a 2014 foi aprovada pelos vereados.

Fonte: G1

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes Oliveira

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese