Geral

Dilma é xingada por torcedores no Itaquerão

SÃO PAULO E BRASÍLIA – Apesar de todo o cuidado dos assessores do Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff voltou a ser hostilizada nesta quinta-feira pelo menos três vezes, depois da cerimônia de abertura da Copa do Mundo e durante a partida no Itaquerão. Com o encerramento do show, dividido em quatro atos, um locutor fez um agradecimento aos operários que trabalharam nas obras dos estádios da Copa e pediu palmas dos torcedores também aos familiares “daqueles que não estão mais aqui”. O estádio todo aplaudiu, mas em seguida começou um coro ofensivo à presidente.

“Eh, Dilma, vai tomar no c…”, gritou parte dos torcedores, ao que se seguiram vaias.

A manifestação foi rápida, mas suficiente para causar mal estar em meio à festa. As hostilidades contra a presidente voltaram depois da execução do hino nacional, já com as seleções de Brasil e Croácia em campo.

Novamente, um grupo da arquibancada Norte puxou o coro “Eh Dilma, vai tomar no …”. Mas desta vez os xingamentos e vaias foram rapidamente interrompidos por aplausos, gritos e assovios.

Já no segundo tempo, a presidente foi hostilizada pela terceira vez. Logo depois de Neymar assinalar o segundo gol do Brasil, o telão exibiu a imagem de comemoração de Dilma, o que levou os torcedores a repetirem o coro.

Embora já estivesse presente no estádio (dividia a tribuna de honra com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, e outras autoridades), a presidente não teve seu nome anunciado em nenhum momento. E também não fez o tradicional pronunciamento de abertura, quebrando pela primeira vez em 30 anos um protocolo entre os chefes de Estado do país-sede.

As declarações do chefe de estado e do presidente da entidade na abertura da Copa foram substituídas pela entrada em campo de três crianças carregando pombas que foram soltas simbolizando o desejo de paz durante o megaevento.

Um forte esquema de segurança protegeu a presidente na sua chegada. Depois de oferecer almoço a nove chefes de Estado que estão em São Paulo para a Copa, ela seguiu para o estádio. Um helicóptero acompanhou o trajeto da presidente até o estádio. Lá dentro, usou um elevador privativo que a deixou na área destinada às autoridades.

Durante o Congresso da Fifa, esta semana em São Paulo, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmara que Dilma não irá a outros jogos, além da abertura e da final:

– Ela vai na abertura e na final. Mas não faria sentido ir no jogo entre Alemanha e Portugal, por causa da Angela Merkel, e não ir no jogo do Chile (que deve ter Michelle Bachelet). Assim, não vai em nenhum outro – explicou o ministro que, no entanto, não sabe se a presidente entregará a taça ao campeão, no Maracanã.

Na Copa das Confederação, há um ano, a presidente também foi vaiada pelo público presente no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Na oportunidade, Blatter ficou constrangido e chegou a explicitar esse incômodo, dizendo “onde está o respeito, onde está o fair play” e foi vaiado também.

fonte. o globo

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
Tags

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese