Tempo Real

‘Demolição total’, sugere Crea para estrutura de viaduto que desabou no DF

Conselho Regional de Engenharia aconselha GDF a descartar escoramento, e alerta para risco de desabamento total. ‘Está como se fosse uma casca de ovo’, diz presidente do órgão.

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) sugeriu ao governo do Distrito Federal que descarte a possibilidade de escoramento do viaduto que desabou no fim da manhã desta terça-feira (6). Para os especialistas, há risco de queda total da estrutura e ameaça à vida de técnicos que atuarão no local, caso seja este o procedimento escolhido.

O conselho de engenharia é autor de um relatório que, em 2009, pontuou a necessidade de o GDF tomar “providências imediatas” em relação à “condição patológica” do viaduto que está sobre a Galeria dos Estados, na região central de Brasília. O ponto citado é exatamente onde parte da estrutura ruiu, nesta terça.

Ao todo, o documento reunia cinco propostas para que o Buriti implantasse, na época, um programa de manutenção preventiva e corretiva das consideradas “obras de artes especiais”, incluindo o viaduto próximo à rodoviária do Plano Piloto.

Trecho do relatório do Crea, de 2009, que cita necessidade de manutenção de viaduto que desabou em Brasília (Foto: Crea/Reprodução)Trecho do relatório do Crea, de 2009, que cita necessidade de manutenção de viaduto que desabou em Brasília (Foto: Crea/Reprodução)

Trecho do relatório do Crea, de 2009, que cita necessidade de manutenção de viaduto que desabou em Brasília (Foto: Crea/Reprodução)

‘Casca de ovo’

Segundo a presidente do Crea-DF e engenheira civil Fátima Có, os pilares que ainda sustentam o viaduto estão trincados. Por isso, a opção de escoramento deve ser substituída pela demolição total da estrutura. “É preciso fazer estudo [que diga] se o vão principal pode permanecer em pé”.

“A estrutura está como se fosse uma casca de ovo.”

A engenheira cita ainda que, apesar de a perícia ainda não ter sido feita, é possível constatar que a ausência de manutençã – em desacordo com o que foi recomendado no documento – levou à queda do viaduto.

“Havia ferrugem e bastante infiltração. Tudo isso leva a deteriorar qualquer tipo de estrutura, e mostra que demandava rápida reparação.”

“O que tem que ser feito agora é um laudo de inspeção em todas as obras afetadas e com necessidade de recuperação”, explica Fátima.

Questionado sobre o porquê de não ter investido antes na recuperação da área, o governador Rodrigo Rollemberg afirmou que GDF “não tinha todo o dinheiro”.

“Infelizmente, um dos viadutos que estava nos planos de recuperação desabaou antes de inciarmos a obra”, diz Rollemberg.

Viaduto no Eixão no centro de Brasília desaba sobre carros estacionados próximo à Galeria dos Estados (Foto: Arquivo pessoal)

Viaduto no Eixão no centro de Brasília desaba sobre carros estacionados próximo à Galeria dos Estados (Foto: Arquivo pessoal)

Relatório

No documento protocolado em 2009 no GDF, o Crea sugeria, a criação de uma comissão com o objetivo de implantar o programa de manutenção preventiva e corretiva das estruturas. Na época, de acordo com a análise do órgão, eram raros no DF os problemas decorrentes de colapso nas fundações ou superestrutura.

“O que se nota é uma deteriorização causada pelo tempo, pela poluição urbana, e pelo tráfego cada vez mais intenso”, diz o texto. Além disso, o documento também cita o fato de a demanda por especialistas em monitoramento e manutenção “não estar nas preocupações primeiras dos governantes”.

Tribunal de Contas

Outro relatório, desta vez do Tribunal de Contas do Distrito Federal, em 2012, apontou que a manutenção das edificações públicas da capital era feita “de modo improvisado e casual”. Segundo o estudo, essa dinâmica “não garante a integridade das edificações públicas”.

Naquele momento, há quase seis anos, os auditores do tribunal identificaram oito bens públicos com necessidade de reparo e manutenção urgente.

A lista de urgências inclui, ainda:

  • a Ponte do Bragueto, que faz a ligação entre o fim da Asa Norte e o Lago Norte;
  • o viaduto que cruza o mesmo Eixão Sul e a via S2 (dos anexos ministeriais);
  • dois viadutos do Eixo L (conhecido como “Eixinho de baixo”), nas quadras 203/204 Sul e 215/216 Sul;
  • o viaduto sobre a via N2 (dos anexos ministeriais, no lado voltado para a Asa Norte), ao lado do shopping Conjunto Nacional;
  • o estacionamento do shopping Conjunto Nacional, e
  • o ginásio Cláudio Coutinho, próximo ao estádio Mané Garrincha.

FONTE: G1/DF

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes Oliveira

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese