Atualidades

Delegada abre inquérito para investigar morte de mulher na casa de PF em Porto Velho; vítima tinha lesões no corpo

Policial aposentado Raimundo Teles Aguiar, ex-marido da vítima, foi visto debruçado no corpo dela e dando socos no tórax. Corpo de Rosilene Chaves foi enterrado nesta quinta-feira (5).

A Delegacia de Homicídios abriu inquérito, nesta quinta-feira (5), para investigar a morte de Rosilene Chaves de Oliveira, de 46 anos, em Porto Velho. O corpo da técnica de enfermagem tinha sinais de violência física e foi achado na casa de um policial federal aposentado, que é ex-marido de Rosilene.

O caso está agora sob a supervisão da delegada Leisaloma Carvalho. Segundo ela, duas das principais testemunhas do caso já foram ouvidas.

A morte de Rosilene ainda tem muitas perguntas sem respostas. Testemunhas contaram à polícia que viram o policial Raimundo Teles Aguiar debruçado sobre o corpo da ex-esposa e dando socos na região do tórax dela.

Já no depoimento que prestou na Central de Polícia, Raimundo afirmou ter feito o procedimento [socos] na tentativa de fazer massagem cardíaca, pois a vítima teria desmaiado durante um ato sexual entre eles.

O inquérito foi aberto na Homicídios e o policial federal aposentado continua sendo o principal suspeito. A delegada afirmou à Rede Amazônica que nenhuma hipótese foi descartada.

Delegacia de Homicídios assume caso da Rosilene Chaves, possível feminicídio na capital

Na quarta-feira (4), dia que o corpo da vítima foi encontrado, o caso foi registrado como feminicídio.

Nesta quinta-feira foi realizado um cortejo em despedida a Rosilene e foi acompanhado por dezenas de carros pelas principais vias da capital.

Cortejo é realizado para despedida de técnica de enfermagem achada morta na casa de PF

O cortejo saiu da Central de Óbitos, no Setor Industrial, e seguiu até o cemitério Recanto da Paz. Familiares e amigos estavam bastante emocionados durante o enterro de Rosilene.

Corpo na varanda

Rosilene foi achada morta nesta quarta-feira (4) na varanda da casa do suspeito, na avenida Calama, bairro Aponiã. A vítima estava nua e o suspeito, que é ex-marido da vítima, foi visto debruçado sobre a o corpo dela e dando socos na região do tórax.

Quando a Polícia Militar(PM) chegou ao endereço, o PF aposentado alegou que estava fazendo procedimentos agressivos porque a vítima teria desmaiado durante a relação sexual e ele fazia massagem cardíaca.

Um laudo inicial do Instituto Médico Legal (IML) apontou como inconclusiva a causa da morte. Novos exames serão feitos.

O ex-marido de Rosilene chegou a ser preso no início da manhã de quarta-feira, mas foi liberado durante a tarde. Novos exames serão feitos pelo IML para tentar identificar a causa da morte da vítima.

A defesa do policial informou, em nota, que os fatos serão “devidamente apurados durante a instrução processual” e que os depoimentos das testemunhas foram necessários para o esclarecimento da fatalidade, e acrescentou que ainda será “importante aguardar o laudo pericial para legitimar todos os tópicos da defesa técnica”.

Medida protetiva

A técnica de enfermagem tinha medida protetiva em vigor contra o ex-marido. Segundo informações do 1º Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, a medida protetiva foi concedida à vítima no dia 20 de junho de 2020, durante plantão judicial.

Três dias depois, a Justiça também determinou a suspensão do porte de arma de fogo do suspeito.

Rosilene e o policial federal ficaram juntos por cerca de 25 anos. Há cerca de um ano eles se separaram, no entanto, amigos afirmam que o suspeito sempre ligava para Rosilene.

Vizinhos relataram à Polícia Militar (PM) que quando o casal estava junto havia briga com frequência.

FONTE: G1/RO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese