Esporte

A Copa e o legado que não veio: de quem é a culpa pela vergonha de Ronaldo?2

E, de repente, chega aqui, é essa burocracia toda, uma confusão, um disse me disse, são os atrasos. É uma pena. Eu me sinto envergonhado, porque é o meu país, o país que eu amo, e a gente não podia estar passando essa imagem para fora”
Ronaldo Nazário, 23 de maio de 2014

De repente, Ronaldo se envergonha. De repente, é essa burocracia toda, essa confusão. De repente, a gente não “podia” estar passando essa imagem para fora. O que teria acontecido, assim, tão de repente? De quem seria a culpa por tão repentino acontecido?

Em 30 de outubro de 2007, o Brasil foi escolhido pela Fifa como sede da Copa do Mundo de 2014. O governo brasileiro assumiu alguns compromissos e isenções para garantir a plena execução da organização da Copa da maneira que contratava com a Fifa. São as 11 Garantias Governamentais, posteriormente ratificadas por leis e decretos.

Agora, a duas semanas da Copa, Ronaldo constata que o plano falhou. Os estádios, bem, esses servirão para os jogos. Mais caros que o previsto, nem totalmente acabados, mas capazes de receber os jogos. Já as obras de mobilidade urbana, as reformas, modernizações e ampliações de portos e aeroportos, essas, em sua maioria, não saíram. Mais da metade do legado previsto não saiu. E isso poderá gerar problemas. Isso poderá fazer o país passar vergonha.

Ronaldo admite sua vergonha, mas se exime de culpa. Ele e o ente de que é membro, o COL (Comitê Organizador Local da Copa, ligado à CBF e à Fifa), nao são responsáveis pelas obras que não saíram. Os estádios estão aí, e não se faz Copa com hospitais. Junto com Ronaldo, outros também, a duas semanas da Copa, procuram se eximir de culpa e apontar culpados. Alguém para acumular em seus ombros os protestos difusos, os reclames e as frustrações coletivas.

É o Governo Federal brasileiro, inventor da ideia de trazer a Copa para o país, coordenador de todo o planejamento, dono da maioria dos recursos financeiros injetados no projeto, o candidato natural a laranja de todos os erros e malfeitos da Copa. São eles os responsáveis pelos atrasos, pela incompetência e pela gastança da Copa. É deles que Ronaldo se envergonha. Mas só deles?

Ainda em 2007, mesmo ano da escolha do Brasil como sede da Copa, o governo federal solicitou aos governos estaduais e municipais das cidades-sede que passassem a planejar as obras que julgavam essenciais em suas praças para sediar o evento internacional. Os projetos para as cidades-sede foram apresentados pelas prefeituras e governos estaduais à União dois anos depois, em setembro de 2009.

Eles foram analisados, aprovados e priorizados para receber financiamento federal, por meio do Programa Pró-Transporte, com recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e operacionalizado pela Caixa Econômica Federal.

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes Oliveira

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese