Teia Digital

Bom ano novo começa, em Porto Velho, com diminuição da tarifa de ônibus – Por Silvio Persivo

Estou pronto para o ano novo. Espero que seja de muita felicidade e imensamente confortável. “Estou pronto para morrer. Espero que não seja demasiado desconfortável” (Leonard Cohen). 

BOM ANO NOVO COMEÇA, EM PORTO VELHO, COM DIMINUIÇÃO DA TARIFA DE ÔNIBUS 

Conforme anunciado pela Prefeitura de Porto Velho, a partir do próximo sábado, 1º de janeiro de 2022, a tarifa social do transporte coletivo em Porto Velho passará a custar R$ 3,00. O valor é válido para os passageiros que possuem o cartão COM Card. Para quem não possui o cartão, o custo da passagem continua a ser de R$ 4,05, preço normal sem o subsídio. A nova tarifa permanecerá vigente até o dia 30 de junho de 2022, quando termina o prazo estabelecido no Decreto nº 16.958, de 07 de outubro de 2020, que impôs o regime tarifário especial do serviço essencial de transporte coletivo na capital em decorrência dos critérios de enfrentamento à covid-19. De acordo com a determinação, a nova regra leva em consideração o Art. 1º da Lei nº 2.898, de 16 de dezembro de 2021, que autoriza a concessão de subsídio tarifário em todo o território municipal, e do §1º, do mesmo artigo, que diminui ou isenta a tarifa pública como forma de incentivo e promoção à utilização do transporte coletivo.

VENDAS DE FINAL DE ANO AUMENTARAM EM 10% SEGUNDO A ALSHOP

Fim de ano é a época que mais movimenta o varejo e a mais esperada pelos consumidores. Depois  do período mais forte do comércio, um levantamento nacional feito pela ALSHOP (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) com lojistas associados que representam cerca de 15 mil pontos de venda, mostrou que o Natal de 2021 registrou um aumento real nas vendas de 10% real em relação ao ano passado, mas ainda está distante de alcançar o patamar de 2019. A ALSHOP entende que existem ainda alguns fatores que barram um crescimento e entre os principais estão a alta do dólar, inflação, desemprego elevado e a falta de confiança do consumidor, a falta de matéria-prima e ainda a questão logística.  Segundo a ALSHOP, cerca de 123,7 milhões de consumidores foram às compras n e cerca de 77% dos consumidores compraram lembranças neste final de ano. E os presentes mais procurados nesta ocasião foram roupas com 61%, brinquedos 37%, seguido de perfumes, cosméticos e calçados, ambos com 36% e acessórios, opção de 24% dos consumidores. Para Nabil Sahyoun, presidente da ALSHOP, “A população está cada vez mais confiante com o recrudescimento da pandemia e os lojistas foram importantes neste processo na aplicação dos protocolos e na luta que empreendemos pela reabertura dos centros de compra. Ainda com desafios, essa retomada representa um alento para os lojistas que ficaram meses sem esperança de dias melhores, e hoje, tudo resulta no crescimento de vendas presenciais nas lojas”. 

NO AMAZONAS O MELHOR NATAL DOS ÚLTIMOS ANOS

A CDL-Manaus (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus) projetou uma receita de R$ 1,51 bilhão para vendas de Natal, neste ano. Em Rondônia, também com crescimento em relação ao ano passado, a estimativa é de que a receita alcance R$ 458,2 milhões. O resultado do Amazonas, se alcançado, representará um incremento de 13%, sobre o de 2020, e será maior em 7,8% do que o faturamento de 2019. Algo similar ocorre com Rondônia com um crescimento esperado de 11% em relação ao ano passado e 6,2% em relação à 2019.Estima-se que 91,5% pretendem comprar presentes neste Natal, com um ticket médio esperado de R$ 160,00. Como sempre os itens de vestuário e calçados aparecem em destaque na lista de compras. Os dados refletem a tendência prevista no levantamento da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e do SPC Brasil, que mostram que 77% dos consumidores brasileiros irão às compras (cerca de123,7 milhões de pessoas). A expectativa é de uma movimentação de R$ 68,4 bilhões, em todo o país. 

VWCO APOSTA EM CRESCIMENTO MODERADO DA ECONOMIA EM 2022

Apesar das incertezas, a direção da Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) traça um cenário de crescimento da indústria de veículos comerciais pesados no ano que vem. Com a tendência de aumento das entregas, a montadora contratou desde o início da pandemia mil funcionários para sua fábrica em Resende, no sul do Rio de Janeiro, e reafirmou o plano, engatilhado neste ano, de investir R$ 2 bilhões no Brasil até 2025. Segundo  o presidente e CEO da montadora, Roberto Cortes, em seus mais de 40 anos no segmento, nunca foi tão “desafiador” fazer previsões como agora. Assim, evitou projetar números para 2022. Mas disse que, pela lógica, haverá crescimento do setor. “Esta é a única certeza que tenho”, comentou Cortes.Ele disse trabalhar com doze fatores que apontam para um ano de crescimento, e outros seis que sugerem dificuldades pela frente. Entre os motivos de otimismo, listou o maior controle da pandemia, a perspectiva de crescimento, ainda que moderado, da economia (em especial, de setores demandantes de caminhões, como o agronegócio), a necessidade de os transportadores renovarem suas frotas e as encomendas de ônibus escolares pelo governo. Também entra na conta a possibilidade de antecipação de compras antes da entrada em vigor, em 2023, dos novos limites de emissões – cujas tecnologias resultarão em caminhões mais caros.

MERCADO PET CRESCE 22,1% APESAR DA PANDEMIA 

Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o Brasil possui a segunda maior população de cães, gatos e aves canoras e ornamentais do mundo, além de ser o terceiro em população total de pets. Sendo assim, a procura por produtos voltados para a saúde dos animais, cuidados estéticos e alimentação acaba sendo alta, e, consequentemente, faz com que o mercado pet fature cada vez mais. O mercado Pet, apesar da pandemia, conseguiu registrar crescimento, ao contrário outros que acabaram registrando queda nas vendas. Segundo o Instituto Pet Brasil (IPB), no ano passado, o mercado pet registrou um crescimento de 13,5%, com faturamento de R$40,1 bilhões. Para este ano, a expectativa é que o segmento encerre 2021 com um crescimento de 22,1% a mais, e com faturamento que ultrapassa os R$50 bilhões. Para Carolina Vaz, fundadora da Dog´s Care, “Como os brasileiros passaram mais tempo em casa, reduziram os passeios por conta das restrições, acabaram interagindo mais com os seus pets e mudando os hábitos de higiene e isso fez com que a necessidade de consumo dos produtos voltados para higiene e bem estar dos cães e gatos aumentasse nesse período”, explicou. A Dog´s Car é pioneira e inovadora, pois trouxe ao mercado nacional, em 2006, com exclusividade, as fraldas descartáveis para cães, com o principal objetivo de facilitar o dia a dia com o pet em casa e nos passeios, quando ele insiste em fazer as necessidades fora do lugar e a vida vira um caos. Tornando cada vez mais harmoniosa a convivência entre pessoas e cães, hoje possui uma linha com mais de 30 itens, entre acessórios para facilitar o passeio, produtos descartáveis e uma linha para auxiliar no adestramento e na higiene. A fonte da notícia é a Notícia Expressa.

AUTOR: SILVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

  • A opinião dos colunistas colaboradores são de sua inteira responsabilidade  e não reflete necessariamente a posição da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

COMPARTILHE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLITICA

TEIA DIGITAL

DIRETO DE ROLIM

TEMPO REAL

PUBLICIDADE

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
pt_BRPortuguese