Teia Digital

A crise econômica atinge com mais fortemente os jovens – por Silvio Persivo

Anúncios

É verdade! “Os homens mentem, as mulheres dissimulam” (Pedro Almodovar).

DOCENTE DA UNIR LANÇA LIVRO SOBRE SEXUALIDADE INDIGENA

“Existe índio gay?” – a colonização das sexualidades indígenas no Brasil” é o título da mais recente obra publicada por um pesquisador da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) sobre o tema da “colonização das sexualidades indígenas”. O autor do livro, Estevão R. Fernandes, é professor do Curso de Ciências Sociais do campus de Porto Velho. O lançamento oficial do livro está previsto para outubro, com data a ser divulgada posteriormente, mas,  os interessados já podem acessá-lo no endereço eletrônico da Editora Prismas (http://editoraprismas.com.br/produto/7917235/PRE-VENDA—Existe-indio-gay-a-colonizacao-das-sexualidades-indigenas-no-Brasil). A publicação, inscrita no ISBN sob o número 978-85-5507-889-7, é a primeira sobre o tema sexualidades indígenas escrita em língua portuguesa, segundo informações do autor. Possui cerca de 250 páginas e não se direciona somente ao público acadêmico e especialista, mas, também aos interessados em questões referentes à história do Brasil, colonialismo, gênero e antropologia, por exemplo. A obra compõe parte da Coleção “História das sexualidades brasileiras”, da Editora Prismas. O livro conta com uma apresentação escrita por Paulo Souto Maior, doutorando em História pela Universidade Federal de Santa Catarina, historiador e organizador da Coleção, e um prefácio escrito pelo professor Cristhian Teófilo da Silva, da Universidade de Brasília.

ENVELHECER NÃO NOS TORNA INVISÍVEIS

A Lei nº10.741, que prevê direito dos idosos, foi criada em 1º de outubro de 2003, quando, a partir de então, começou a ser comemorado o Dia do Idoso. Mas, no Brasil, nem sempre envelhecer é sinônimo de tranquilidade. “Muitos brasileiros estão enfrentando sozinhos as dificuldades trazidas pela velhice e isso tem um alto preço. A maioria desconhece a realidade enfrentada por eles, não sabe cuidar de seus idosos e com isso eles acabam sofrendo por coisas que não deveriam fazê-los sofrer”, explica a psicóloga Rosimar Imperiano. Em Porto Velho, o projeto “Envelhecer não nos torna invisíveis” tem como objetivo diminuir estes impactos, mostrando à sociedade a importância do cidadão idoso. Um conjunto de ações será promovido de 24 de setembro à 1º de outubro tanto na Casa do Ancião, quanto para a comunidade, com ações que visam valorizar os mais idosos. A programação pode ser vista no endereço http://www.rondonia.ro.gov.br/semana-do-idoso-tera-programacao-especial-aberta-a-comunidade-na-casa-do-anciao-em-porto-velho/.

ELO SERÁ IMPLANTADO NO AEROPORTO JORGE TEIXEIRA

Acompanhada do senador Valdir Raupp, a  deputada federal Marinha Raupp anunciou ao presidente da Fecomércio, Raniery Coelho, a aquisição do sistema de embarque e desembarque de passageiros do aeroporto internacional de Porto Velho. O sistema está em fase de licitação, sendo esperado o início de sua instalação ainda neste exercício. Chamado de ELO – Equipamento de Ligação Operacional, o conector é projetado para fazer a interligação ao nível do solo entre salas de embarque e desembarque e aeronaves, permitindo que os passageiros, transitem ao mesmo tempo, com conforto, segurança e acessibilidade, ao entrar ou sair dos aviões.

OS JOVENS SÃO OS MAIS ATINGIDOS PELA CRISE

Os movimentos do mercado de trabalho mostram que a crise econômica atinge com mais fortemente os jovens. São eles que têm mais dificuldade de conseguir emprego e mais chance de serem demitidos. A informação é do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no blog da Carta de Conjuntura. De abril a junho deste ano, apenas 25% dos desempregados com idade entre 18 e 24 anos foram recolocados no mercado, atingindo um nível bem abaixo do observado no início da pesquisa em 2012, de 37%. Os pesquisadores destacam que, além disto, entre os que perderam o emprego, o segmento dos mais jovens forma o grupo com maior perda percentual de ocupação. De 2012 a 2017, os trabalhadores com idade entre 18 e 24 anos que estavam ocupados e foram dispensados, passou de 5,2% para 7,2%. “Os dados salariais revelam que, além de receber as menores remunerações, o grupo dos trabalhadores mais jovens apresenta queda de salário [de 0,5% na comparação com o mesmo período de 2016]. Na outra ponta, os empregados com mais de 60 anos elevaram em 14% seus ganhos salariais, na mesma base de comparação”, é o que aponta o estudo sobre o tema.

ARRECADAÇÃO FEDERAL SOBE EM AGOSTO

A arrecadação do governo federal de agosto, de 104,206 bilhões de reais, subiu 10,78%  na comparação com o mesmo mês de 2016. O desempenho foi beneficiado pelo programa de parcelamento tributário, o Refis, e pela melhora na arrecadação de tributos sobre o lucro.  O resultado foi o melhor para o mês desde 2015. Só com o Refis, cujo prazo de duração foi estendido pelo governo para o fim deste mês, foram arrecadados 1,804 bilhão de reais em agosto. Segundo a Receita, também foram arrecadados 1,213 bilhões de reais com o parcelamento de dívida ativa, ação que também é admitida no âmbito do Refis. No total, já foram 5,455 bilhões de reais com o programa neste ano.

FUTUROS CORTES DA SELIC SERÃO MENORES

O último Boletim  Focus do Banco Central trabalha com a perspectiva,  para 2018, de uma taxa básica de juros mais reduzida e um cenário de inflação cada vez mais fraco. A projeção dos economistas consultados para a Selic em 2018 passou a ser de 7%, contra 7,25% anteriormente. Para este ano, a conta permanece sendo de 7%. O BC na mensagem de encerramento gradual da flexibilização monetária da ata de sua última reunião, quando cortou a Selic em 1% ponto percentual, para 8,25%,  fez com que, para o encontro de política monetária de outubro, os economistas consultados prevejam uma redução do ritmo de corte da Selic para 0,75%. O afrouxamento monetário  em curso é favorecido pela fraca pressão dos preços.

 

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com