Agronegócio

Inflamações podem evoluir para septicemia e levar fêmeas suínas à morte

A inflamação nas mamas (mastite) acompanhadas por inflamações no útero (metrites) e febre superior a 39,5° C em suínos são sintomas graves e merecem toda a atenção do produtor pois podem evoluir para infecção generalizada (septicemia) e levar às fêmeas à morte. Esses sinais estão presentes na Síndrome Metrite-Mastite-Agalaxia (MMA), que também se caracteriza pela parcial (hipogalaxia) ou total (agalaxia) da lactação. “O melhor tratamento para a MMA é a associação de anti-inflamatórios e antibióticos”, orienta André Buzato, gerente técnico da área de suínos da Vetoquinol Saúde Animal. Buzato informa que a síndrome é descrita há pelo menos 50 anos e nas últimas três décadas passou a ser conhecida como Síndrome da Disgalaxia Pós-Parto (SDP). “Na prática, a incidência da SDP/MMA em suínos pode variar consideravelmente entre 1% a 60%, mas a média global é de 13%, ou seja, com incidência média de 1,3 casos a cada 10 animais. É uma enfermidade muito relevante”.

“Atualmente, é a doença mais importante para as fêmeas suínas no puerpério, principalmente no pós-parto”, reforça Buzato, explicando que a SDP é caracterizada pela inadequada e insuficiente produção de leite e colostro durante os primeiros dias pós-parto. “Estes sintomas causam aumento na mortalidade pré-desmame e diminuição no desenvolvimento dos leitões durante a lactação”, explica o médico veterinário especialista em sanidade suína.

O portfólio da Vetoquinol – uma das 10 maiores empresas de saúde animal do mundo – oferece dois produtos líderes de mercado que, juntos, proporcionam alta e rápida eficácia no tratamento da SDP/MMA. O protocolo conta com Forcyl, antibiótico injetável em dose única à base de marbofloxacina. Combinado com alta concentração plasmática e rápida ação, evita a resistência do agente bacteriano, com baixa carência (apenas 9 dias).

Os suinocultores podem completar o tratamento com Tolfedine CS, o primeiro anti-inflamatório não esteroidal à base de ácido tolfenâmico, princípio ativo exclusivo da Vetoquinol no Brasil. “Tolfedine CS tem tripla ação (analgésica, anti-inflamatória e antipirética) e oferece potente tratamento em única dose de ação rápida e prolongada”, reforça André Buzato “A associação dessas duas potentes soluções contribui de forma rápida e eficaz para a minimização de perdas com a SDP/MMA e gastos da granja.”

Sobre a Vetoquinol – A Vetoquinol Saúde Animal faz parte das 10 maiores indústrias de saúde animal do mundo, com presença na União Europeia, Américas e região Ásia-Pacífico. Grupo independente, projeta, desenvolve e comercializa medicamentos veterinários e suplementos, destinados à produção animal (bovinos e suínos), a animais de companhia (cães e gatos) e a equinos. Desde sua fundação, em 1933, a Vetoquinol combina inovação com diversificação geográfica. O crescimento do grupo é impulsionado pelo reforço do seu portfólio de produtos associado a aquisições em mercados de alto potencial de crescimento, como a Clarion Biociências, ocorrida em Abril/2019. A Vetoquinol gera 2.372 empregos e está listada na Euronext Paris desde 2006 (símbolo: VETO). A Vetoquinol conta com SAC formado por profissionais da área veterinária para auxílio aos clientes. A ligação é gratuita – 0800 741 1005. Site: www.vetoquinol.com.br

FONTE: ASSESSORIA TEXTO COMUNICAÇÃO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com