Teia Digital

 Setor de serviços do amazonas teve melhor desempenho de Maio – por Silvio Persivo

Anúncios

Pessoas sem instrução aceitam qualquer coisa seja em comida, bebida, música ou política. “O público está hipnotizado diante de algo que a mídia empurra goela abaixo e deixa aquele que é pouco exigente satisfeito com a mediocridade” (Zuza Homem de Mello).

É PRECISO TRABALHAR DIZ CONFÚCIO MOURA

O governador Confúcio Moura, em Alto Paraíso, em evento no qual foram assinados dez termos de colaboração com prefeituras para operação tapa-buracos em vias urbanas, disse estar preocupado com o futuro.  Sua fala foi feita depois de anunciar que o presidente Michel Temer sancionou a Medida Provisória que estabelece novas regras para  regularização fundiária de terras da União na Amazônia Legal. “Rondônia precisa de uma revolução de documentos, e eu fico preocupado com o futuro. Não podemos retroagir nas conquistas que tivemos. Nestes últimos sete anos e pouco de governo conseguimos enquadrar Rondônia, que hoje é um estado respeitado, com portas abertas na maior federação das indústrias do país, a Fiesp, em São Paulo”, declarou a produtores rurais e políticos.  Moura disse que a Medida Provisória facilita o trabalho de regularização de terras, e que o estado deve adotar uma posição clara sobre como irá colaborar com a titulação de áreas urbanas e rurais. Segundo ele, nos próximos dias deve ocorrer no âmbito do governo federal a regulamentação da lei, quando serão detalhados pontos da proposta,  como por exemplo uma pauta de valores da terra nua com base nos valores da reforma agrária. E aduziu “Temos de ter compromisso com as futuras gerações. Vamos falar de desenvolvimento e grandeza. Faço pelos quatro cantos do estado a pregação do bem.  Não fico feliz em assistir o jornal e ver tudo que está acontecendo. O Brasil existe, e não é essa bandalheira que está acontecendo que vai nos deixar deprimido. O discurso é o da superação da crise, com convicção, com coragem”. E concluiu que é preciso trabalhar.  “É preciso mostrar o trabalho de todos vocês de Alto Paraíso, dos demais municípios que aqui estão. Vamos honrar as famílias pioneiras que abriram Alto Paraíso e os demais municípios; vamos honrar o Teixeirão (governador Jorge Teixeira), que transformou o território em estado, vamos valorizar o orgulho do povo rondoniense”.

UNIR TERÁ PROJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E MINIGERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

A Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) será beneficiada por um projeto de eficiência energética e minigeração de energia elétrica proposto pela Eletrobrás Distribuição Rondônia, aprovado junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), numa chamada pública de 2016. Trata-se do projeto “Portal de Soluções Inteligentes para Eficiência Energética e Minigeração incluindo Desenvolvimento de Controladores Ativo de Demanda para Instituições Públicas de Educação Superior”, que deve ser implantado ainda este ano. A intenção da Agência é de reduzir os entraves à implementação de projetos de EE e de geração própria de energia (Minigeração) pela implantação de projetos pilotos em Instituições Públicas de Educação Superior (IPES), para servir de modelo ao  setor público. O valor total orçado pela Eletrobrás Distribuição Rondônia para o projeto é de R$ 8.851.279,00. Os custos referentes às ações de P&D totalizaram R$ 4.676.562,00, enquanto as ações de eficiência energética totalizaram R$ 4.174.717,00. Já a contrapartida não financeira da Universidade é de R$ 237.600,00,  por meio dos servidores/pesquisadores envolvidos no projeto. Conforme cronograma da ANEEL, o limite para início da execução do projeto é 28/8/17, já o término de execução está marcado para 12/8/20. Além da UNIR, outras 26 Instituições Públicas de Educação Superior em todas as regiões do país também tiveram projetos aprovados que totalizam aproximadamente R$ 309 milhões em investimento previsto para os próximos três anos.

DIA DO COMERCIANTE

Bom o Dia do Comerciante foi comemorado no último domingo, dia 16 de julho. Como sempre a data é pouco comemorada e somente alguns anúncios e pessoas homenagearam os profissionais que trabalham na área do comércio, ou seja, na venda de produtos e serviços. Não é de espantar. O Brasil cultiva a visão atrasada de que os empreendedores, quem gera de fato emprego e renda, são exploradores do trabalho. É uma boa forma de se permanecer no atraso.

O PARAGUAI FEZ SEU DEVER DE CASA

Aliás, por falar em empreendedorismo, vale atentar para a lição, que tempos atrás seria impensável, que nos está sendo dada pelo Paraguai, um exemplo para a América do Sul, apresentando altas taxas de crescimento nos últimos cinco anos. A fórmula é simples: pouca burocracia, baixa carga tributária, custos competitivos e ambiente político/econômico estável – bem diferente da realidade brasileira. Lá observa-se um estímulo real ao crescimento das empresas, através de um ambiente propício ao empreendedorismo, que favorece a geração de emprego, renda e dinamismo econômico, permitindo o crescimento e enriquecimento da população. Este é um que precisamos seguir.

 SETOR DE SERVIÇOS DO AMAZONAS TEVE MELHOR DESEMPENHO DE MAIO

Os serviços no Amazonas registraram em maio o melhor desempenho do país com uma alta de 6,2% na comparação com abril. As demais taxas positivas foram no Rio Grande do Sul (4,1%) e Mato Grosso (3,2%). Já Rondônia teve uma das maiores quedas (-4,8%) abaixo apenas de Roraíma (-5,3%) na contramão da média nacional que cresceu e ficou em 0,1%. Já na comparação com igual mês de 2016, os serviços no Amazonas recuaram 4,4%. Em relação aos cinco primeiros meses de 2017, o índice ficou em – 9,4 e no acumulado dos últimos 12 meses, a redução foi de 11,5%. Os dados são pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e constam da Pesquisa Mensal de Serviços.

EXPECTATIVA DE PROBLEMAS CLIMÁTICOS FAZ SOJA AUMENTAR

A soja vem aumentando de preço nos últimos pregões em Chicago. O preço da soja sobe desde a segunda quinzena de junho. Já chegou a ter uma alta de mais de 15%.  A alta se deve a uma especulação climática.  A ameaça de clima adverso em regiões menos importantes dos EUA, como os Estados de Dakota do Sul e Dakota do Norte.. “A safra de 2017 não vai ser boa como a de 2016, mas ainda poderá ser uma boa safra”, diz Daniele Siqueira, analista da Agência Rural, fonte da notícia. Ela recomenda que o produtor brasileiro fique atento a essas variações de preços. “Assim como subiu rapidamente, pode também cair no mesmo ritmo”.

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com