Teia Digital

Proampe fortalece os pequenos negócios em Rondônia – Por Silvio Persivo

O meu se perdeu dada a quantidade ofertada. “Meu nível de ironia depende do grau de absurdo que ouço” (Helena Tannure). 

PROAMPE FORTALECE OS PEQUENOS NEGÓCIOS DE RONDÔNIA

Criado pelo Decreto n.º 25.555, de 16 de novembro de 2020, o Programa de Apoio às Micros e Pequenas Empresas e Empreendedores de Pequenos Negócios (Proampe) já investiu mais R$ 2,6 milhões em financiamento de pequenos empreendimentos em 13 municípios nas áreas dos sete territórios do Estado – Madeira Mamoré, Vale do Jamari, Centro, Rio Machado, Região Sul, Zona da Mata e Vale do Guaporé. O programa coordenado pela Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), visa estimular as atividades econômicas, dando oportunidades aos empreendedores de pequenos negócios pela  projeto concessão de crédito conjugado com capacitação e assistência técnica aos tomadores habilitados. Segundo a Superintendência de Desenvolvimento na formalização dos contratos com as pequenas empresas será praticada uma taxa de juros anual máxima igual à taxa Selic – Sistema Especial de Liquidação e de Custódia -, acrescida de 1,25% sobre o valor concedido. O programa vai oferecer crédito de até R$ 30 mil para cada beneficiário, tendo como garantia o aval da própria pessoa física, e um prazo para pagamento de até 36 parcelas. O superintendente Sérgio Gonçalves afirmou que “Este programa vem atender os que mais precisam agora na retomada da economia, e que no sistema financeiro tradicional não conseguiriam ter acesso a créditos. O Proampe, apesar de não ser um auxílio, é uma política de crédito que vai se tornar cada vez mais eficaz, ajudando e auxiliando àquele que quer ampliar o seu negócio, e aquele também que quer retomar as atividades comerciais neste momento de pós-pandemia”. 

UNIR OFERTA MINICURSO DE INGLÊS 

O Departamento de Línguas Estrangeiras (DLE) da Fundação Universidade Federal de Rondônia, UNIR, ofertará de forma remota  e sem custo, no mês de julho, um minicurso de Inglês Básico. As 40 vagas disponíveis são abertas ao público. Os interessados devem realizar as inscrições até o dia 11 de julho, por meio do preenchimento do formulário disponível no site da universidade. O objetivo do minicurso é proporcionar a aprendizagem da língua inglesa através de atividades de assimilação por meio da leitura, capacitar o participante a ler e compreender textos acadêmicos e outros gêneros textuais em inglês e praticar o ensino da língua inglesa com base nas abordagens como o English for SpecificPurposes (ESP) – leitura e compreensão, gramática, tradução e método audiolingual. É uma atividade realizada por meio do programa de extensão “Trânsitos, Fronteiras, Migração e Línguas Adicionais na Amazônia”, referente ao Estágio IV do curso de Letras/Inglês. O minicurso será supervisionado pelas professoras doutoras Renata Ianesko e Maria Alice Sabaini e ministrado pelos discentes Monique Silva, Daniel Teixeira e Andressa Maia – alunos estagiários do 8º período do curso de Letras/Inglês. Para mais informações sobre o curso, basta entrar em contato via e-mail com um dos estagiários de Letras/Inglês nos seguintes endereços eletrônicos:[email protected] (Andressa Maia); [email protected](Daniel Machado ); [email protected](Monique Neris).

RONDÔNIA DIVIDE COM AMAPÁ A MENOR TAXA DE IMUNIZAÇÃO 

Até a noite do último dia 08 de julho, o Ministério da Saúde divulgou que 81.914.149 pessoas tomaram a primeira dose e 27.606.985 a segunda, 1.835.335 a dose única, num total de mais de 111,3 milhões de doses aplicadas na imunização no país. Os estados mais imunizados são Mato Grosso do Sul (24,90%), Rio Grande do Sul (18,43%) e Espírito Santo (16,24%) e apenas o Amapá e Rondônia possuem menos de 10% de sua população imunizada. 

RECURSOS DO FUNGETUR SERÃO APLICADOS PELO BASA EM RONDÔNIA 

O Banco da Amazônia destinou R$ 50 milhões para o desenvolver o turismo no Estado. O objetivo é o de proporcionar créditos competitivos para os empresários do ramo, apoiar a infraestrutura básica, gerar renda, aumentar a oferta de empregos diretos e indiretos. De acordo com o presidente do BASA, Valdecir Tose, é um recurso novo para a região amazônica, através do Fungetur, o fundo geral do turismo, do Ministério do Turismo que destina recursos para as empresas e empreendimentos turísticos.  O recurso será para aquisição de bens e capital de giro, os financiamentos possuem prazos de até 60 meses, com carência de até 12 meses. As taxas de juros praticadas são de 5% a.a, acrescentado da taxa Selic. Para investimentos, o prazo de pagamento é de até 240 meses, com carência de até 60 meses. As taxas de Juros cobradas também são de 5% ao ano, além da Selic

CRESCE A RECEITA DE EXPORTAÇÃO DE CARNE DE FRANGO 

Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) as exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) foram de 397,4 mil toneladas em junho, volume que supera em 16,2% os embarques no sexto mês de 2020 (341,9 mil toneladas). Em receita, o saldo das vendas internacionais do setor em junho alcançou US$ 650,6 milhões, desempenho 45,7% maior em relação ao realizado no mesmo período de 2020, com US$ 446,5 milhões. No total das exportações do semestre, as vendas internacionais de carne de frango chegaram a 2,244 milhões de toneladas, volume 6,53% maior em relação ao fechamento dos seis primeiros meses de 2020, com 2,106 milhões de toneladas. Graças ao bom desempenho das exportações, a receita em dólares alcanço u US$ 3,476 bilhões, resultado 10,6% superior ao realizado no 1ºsemestre de 2020, com US$ 3,144 bilhões. Os principais destinos das exportações, em junho, foram a China (principal importador da carne de frango do Brasil), com 56,5 mil toneladas importadas; Emirados Árabes Unidos, com 30,1 mil toneladas, Japão, com 36,1 mil toneladas, África do Sul,  com 27,7 mil toneladas, União Europeia, com 18,2 mil toneladas e México, com 16,2 mil toneladas. A carne saiu principalmente Paraná, o maior estado exportador dela, que embarcou em junho 143,2 mil toneladas, de Santa Catarina, que exportou 92,6 mil toneladas e do Rio Grande do Sul, que embarcou 64,2 mil toneladas.

AUTOR: SILVIO PERSIVO – COLUNA  TEIA DIGITAL

  • A opinião dos colunistas colaboradores são de sua inteira responsabilidade e não reflete necessariamente a posição da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLÍTICA

TEIA DIGITAL

TEMPO REAL

DIRETO DE ROLIM

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com