Teia Digital

PARCERIA COM PORTUGAL PODE AUMENTAR TURISMO DE RONDÔNIA – por Silvio Persivo

Anúncios

O que será, de fato, a memória?“Com efeito, a memória parece sem dúvida esclarecer-se por meio de escolhas, afirmar-se por seus travejamentos e não por sua matéria. Ela pratica o salto da ação adiada” (Gaston Bachelard).

EDITAL DO GOVERNO SELECIONA FOTOS PARA O GOVERNO DO ESTADO

O governo de Rondônia abriu edital para seleção do acervo fotográfico do estado. Os interessados que sejam autor ou representantes legais de fotografias que ilustrem fatos sociais, históricos, políticos e locais do ex-território e atual Estado de Rondônia já podem se inscrever. O edital com as regras do concurso e especificações para apresentação das fotografias está disponível. Serão selecionados, no mínimo, três mil fotografias para compor o acervo do Estado que deverá ser composto por fotos que ilustrem um tema histórico, demonstrem potencialidade culturais e retratem informações de interesse cultural de Rondônia. Os valores das premiações são de R$ 30 mil para o primeiro lugar; R$ 15 mil para o segundo colocado e R$5 mil para o terceiro. O material apresentado será analisado pela comissão julgadora composta por historiadores, fotógrafos, cientistas e outros técnicos. A comissão deverá avaliar o acervo levando em consideração a utilidade social, criatividade, originalidade, qualidade artística, entre outros pontos direcionados no edital.

PARCERIA COM PORTUGAL PODE AUMENTAR TURISMO DE RONDÔNIA

O presidente da Fecomércio-RO, Raniery Coelho, que fez parte de uma comitiva da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em Lisboa, Portugal, esta semana, diz que pretende avaliar novas propostas a serem discutidas no Conselho Empresarial do Turismo (Conetur).  Raniery participou, segunda-feira (13) da II Conferência de Lisboa sobre o Acordo União Europeia – Mercosul, que tratou de acordo de livre-comércio, serviços e turismo e oportunidades de negócios para o Brasil na Europa e disse que Portugal é um potencial mercado turístico, sobretudo por causa do idioma. “O Brasil visita muito mais Portugal do que recebe turistas portugueses. Esse foi um dos questionamentos feitos durante o seminário. Sabemos que o problema está na falta de estrutura e na prioridade orçamentária dada pelas autoridades ao setor. Temos muito a evoluir nesse quesito se quisermos entrar nesse mercado”, observou.  Na reunião de Oportunidade de Negócios para o Turismo, o presidente do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da CNC, Alexandre Sampaio, reconheceu a situação do Brasil no setor, mas, observou que o País já trabalha em cima de uma política pública para modernizar o setor em todos os estados, citando o lançamento da Lei Geral do Turismo, em 2017. “O Sistema Fecomércio-RO teve a oportunidade de receber o ministro do Turismo, Marx Beltrão, no lançamento desta lei, em maio desse ano, em Rondônia. Certamente, a abertura de 100% do capital estrangeiro para as empresas aéreas e a criação de zonas de exportação turística vem para dar condições para que possamos expandir o setor e a nossa economia, não somente a países europeus, mas, sobretudo, com os países andinos que estão na nossa fronteira”, finalizou.

PREFEITURA ANUNCIA MUDANÇA NA SEMTRAN

Foi anunciado que o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, aceitou o pedido de exoneração do secretário municipal de Trânsito, Marden Negrão e seu adjunto Flávio Murilo Torres. Os dois deixaram a gestão municipal para tocar projetos pessoais. Para o lugar de Negrão, o prefeito nomeou interinamente o servidor Carlos Henrique da Costa, que vinha ocupando a Diretoria Administrativa da pasta. A verdade é que, apesar de elogiado pelo prefeito, o secretário vinha sendo muito bombardeado por vereadores insatisfeitos com sua atuação. E, embora o tempo seja relativamente pouco, não se viu melhoras significativas na sua condução da pasta. Aliás, em teremos de sinalização e de semáforos, por exemplo, a coisa anda feia. Em locais de muita movimentação a grande parte dos semáforos não funcionam pondo em risco vidas e veículos.

CAIXA COMEÇOU A LIBERAR PAGAMENTO DE PIS PARA APOSENTADOS

A Caixa Econômica Federal iniciou, ontem (17), o pagamento das cotas do PIS para aposentados, conforme a Medida Provisória nº 797/2017. São previstos que mais de 1,2 milhões de brasileiros serão beneficiados com a liberação, na atual fase de R$ 1,7 bilhões. Em Rondônia os saques do PIS/PASEP devem chegar a casa dos R$ 960 milhões. Uma injeção e tanto do Governo Federal na economia do Estado.

A DIVULGAÇÃO POUCO CONSISTENTE DO PIB DOS ESTADOS

Com tristeza, para quem conhece economia, se vê, além do atraso na elaboração dos dados, que, infelizmente o jornalismo econômico passa também por um período de mediocridade. A divulgação do Produto Interno Bruto-PIB pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE relativo à 2015 foi feita, a partir do próprio órgão, de uma forma muito mal cuidada. O PIB, em geral, se considera a partir de uma série histórica, de forma que o ideal é que sua divulgação seja feita com uma tabela que considere o valor real e o nominal, ou seja, o valor sem os desvios inflacionários. Este ano, por exemplo, o IBGE divulga que, pela primeira vez, caíram o PIB de todos os estados, mas, como, o leigo irá entender, por exemplo, que se o PIB de Rondônia, em 2014, foi de R$ 34.031 bilhões e, em 2015, de R$ 36.563 bilhões houve queda? Isto somente se torna compreensível quando se explica que a inflação oficial, segundo o INPC, em 2015, foi de 10,7% e o crescimento nominal do PIB de Rondônia apenas de 7,4%. Em todos as notícias, na grande maioria dos jornais e noticiários, o que se fez foi apenas repetir o que o IBGE divulgou e, de forma canhestra ou errada. Aqui mesmo, em Rondônia, o Diário da Amazônia publicou em chamada da 1ª página que o PIB cresceu 79,4% em 2015 e afirma que enquanto a maioria dos estados teve queda “em Rondônia os números seguem em ritmo de crescimento”. Não está correto. Todos os estados, inclusive Rondônia tiveram queda em 2015 ( e o próprio jornal afirma isto em sua matéria). O crescimento de 79,4%, como o jornal também mostra, ocorreu entre 2002 e 2015, o que representa um crescimento médio de 6,1%, o que, de fato, é um crescimento notável. Mas, em 2015 tivemos uma queda no PIB. Pouca, é verdade, mas, queda. E, com tudo isto, Rondônia não cresceu sua participação relativa no PIB nacional continuando a responder pelos mesmos 0,6% da produção brasileira.

 

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com