Teia Digital

Na Pandemia, consumo de vinho cresceu mais de 30% – Por Silvio Persivo

Se não for não importa muito. “O primeiro passo é estabelecer que algo é possível“(Elon Musk).

 

DOCTOR FEET PRETENDE ABRIR MAIS 10 LOJAS EM RONDÔNIA

A rede de podologia e venda de produtos ortopédicos Doctor Feet, fundada por Jonas Bechelli, traçou seu plano de expansão em Rondônia, onde prevê a abertura de 10 lojas até o final de 2022. A marca, hoje, sé está presente em Porto Velho, capital do estado, onde com unidades da franquia, com seis cabines possui uma média de 1100 atendimentos mensais. Segundo a matriz, em São Paulo, o desempenho da loja da marca junto à franqueadora é visível: “A unidade faturou no último ano, apesar da pandemia, R$1,2 milhão, o que surpreende e deixa entendido que há fôlego para muito mais”. A rede, para alcançar a ambiciosa meta, criou um novo modelo com duas cabines e um mix de produtos mais compacto. Com valores a partir de R$ 180 mil, 49% abaixo do valor tradicional com quatro cabines, o formato deve atrair empreendedores que desejam ter o negócio próprio com a segurança de um serviço já consolidado no mercado, mas com um investimento inicial menor. “O objetivo é ampliar a capilaridade do negócio e tornar a marca uma opção ainda mais acessível para novos investidores e para o público, apostando em pontos de alto tráfego de pessoas que podem ver na marca mais do que uma opção de bem-estar, mas também de saúde e cuidados com os pés. Enche nossos olhos saber que conseguimos fazer tanto sucesso e ter clientes cativos em Porto Velho”, afirma o presidente da rede. As informações são provenientes da Markable Comunicação. 

O Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), finalizou na última sexta-feira (16), os serviços de abertura e recuperação de estrada e pontes para garantir acesso em 40 quilômetros da linha 106, no município de Cujubim. Segundo o diretor-geral do DER, Elias Rezende, os trabalhos foram executados com qualidade, técnica e celeridade por servidores da 2ª Residência Regional do DER em Ariquemes. “Em abril de 2021, a pedido do governador Marcos Rocha, realizamos a primeira visita do ‘Gestão na Estrada’ para traçar o planejamento das ações e, depois de muitas dificuldades e atoleiros, nos reunimos com representantes da Associação dos Produtores Rurais e Pecuaristas do Soldado da Borracha para escutar os anseios de cerca de 400 famílias que lá habitam.  Por se tratar de uma linha de responsabilidade municipal, fomos acompanhados de autoridades da prefeitura e da Câmara dos Vereadores em Cujubim”. O residente Regional de Ariquemes, Rogério Jesus Nicácio, informa que foram executados os serviços de abertura e da estrada, elevação do greide, instalação de bueiro de manilha, saídas d’água para drenagem, além do patrolamento e encascalhamento que garantem segurança aos usuários em mais de 40 quilômetros de estrada. Ele também informa que, além de melhorias na trafegabilidade, as equipes recuperaram a ponte do rio Cavalo e realizaram reparos nos deslizantes do rio Curica.

PROJETO ESCOLAR AVALIA QUALIDADE DA ÁGUA DE JI-PARANÁ

O Instituto Trata Brasil e o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) informaram que quase 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água potável. A fim de avaliar os parâmetros das condições da água em Ji-Paraná (RO), os estudantes e docentes da Estácio Unijipa desenvolveram o projeto de iniciação científica “Qualidade da Água utilizada para consumo nas escolas públicas do município de Ji-Paraná-RO”. A iniciativa analisa os recursos hídricos da região por meio da técnica de membrana filtrante. Durante o processo, são coletados 125 ml de água em frascos coletores estéreis com 0,1 ml de tiossulfato de sódio a 10% para experimentos de caráter microbiológico e físico-químico, que permitem a identificação de grupos de bactérias e do PH, alcalinidade, cloretos, gás carbônico livre e dureza total. Os professores e alunos das áreas de engenharia ambiental e sanitária, biomedicina e farmácia estão envolvidos na pesquisa científica e seguem com atividades educativas de extensão em escolas públicas da cidade, compartilhando o conhecimento já adquirido durante os estudos. Tal produção científica é incentivada e apoiada pela Estácio Unijipa, por meio do Núcleo de Iniciação Científica e Extensão (NIEX). Para o orientador do projeto, Prof. Dr. Alexandre Zandonadi Meneguelli, a pesquisa vai além da formação acadêmica dos discentes. “Guiamos os alunos na busca por novos mecanismos de investigação científica e contribuímos com a sociedade, retornando com o resultado das pesquisas nas escolas públicas e, consequentemente, para a população”, ele destaca. A pesquisa conta também com a coorientação do Professor Diego Teotônio Gomes, do Programa de Mestrado em Química da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A fonte da nota foi a jornalista Giullia Moreira da Agência Eko. 

NA PANDEMIA CONSUMO DE VINHO CRESCEU MAIS DE 30%

O vinho está em alta, pois, o brasileiro nunca consumiu tanto vinho como neste último ano de pandemia. A média alcançou 2,78 litros de vinho consumido per capita, um aumento de mais de 30%, segundo a plataforma https://www.cupomvalido.com.br que reuniu dados da Abras, Ideal e Statista, sobre o consumo de vinho no Brasil e no mundo. O consumo total foi de 501 milhões de litros (contra 383 milhões no ano anterior), quantidade nunca atingida na história. Em consumo, entre os países da América Latina, o Brasil ficou só atrás da Argentina. Do total de 83 milhões de consumidores de vinho no Brasil, 46%  bebem vinho, pelo menos, uma vez por semana, e 53% pelo menos uma vez por mês. O vinho tinto continua sendo o preferido dos brasileiros, com 55% da preferência. O vinho branco, em segundo lugar, com 25%. E por fim, o vinho do tipo rosé está no terceiro lugar na preferência nacional, com 20% do total. Em relação ao vinho tinto, o tipo preferido dos brasileiros são os da uva Malbec, originária da França e com quase 59% do plantio mundial. Em sequência seguem os tipos Cabernet Sauvignon e Merlot, respectivamente. Para os vinhos do tipo branco, a primeira opção é a do tipo Chardonnay, mais conhecida como a “Rainha das uvas brancas”. A uva do tipo Sauvignon Blanc e Moscato, seguem na segunda e terceira posição, respectivamente. Cerca de 59% dos consumidores de vinhos no país tem mais de 35 anos. Além disso, 30% dos consumidores usam os canais digitais, como portais ou lojas online para comprar vinhos. Os brasileiros, segundo a pesquisa são consumidores abertos à novas experiências, já que mais de 70% estão dispostos a provar novos tipos vinhos, não estando presos só a uma marca ou subtipo de uva.

MERCADO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS ESTÁ AQUECIDO

Mesmo com os preços das máquinas agrícolas subindo entre 20% e 40% no último semestre, segundo o presidente da câmara setorial de máquinas e implementos agrícolas da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Pedro Estevão, “Nos cinco primeiros meses do ano, as vendas de máquinas agrícolas aumentaram 68% em relação ao ano passado. A indústria contratou muita gente para dar conta de entregar essa demanda que está no mercado”. A alta foi derivada da escassez de matéria-prima na indústria, em especial o aço. Estevão informou que “Tivemos um aumento de custo muito grande, onde a pandemia também afetou a oferta de aço, um insumo básico, que subiu mais de 100%”. Apesar da alta nos custos, o dirigente da Abimaq afirmou que o mercado está aquecido neste momento.

AUTOR: SILVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com