Teia Digital

Famílias endividadas em Porto Velho estão 11,4% acima do endividamento nacional – Por Silvio Persivo

É hora de olhar para a frente. “A vida só pode ser compreendida, olhando para trás, mas só pode ser vivida, olhando para a frente” (Sôren Kierkegaard). 

QUINTAS DE MAIO

O grupo PET Administração Pública da Fundação Universidade Federal de Rondônia-UNIR está divulgando o seu segundo ciclo de videoconferências online, as Quintas de Maio. As videoconferências serão realizadas todas as Quintas no mês de Maio com objetivo de fomentar discussões a partir de temas relevantes ao Campo de Pública, pautando os debates nos temas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, sendo eles: Igualdade de Gênero, Redução das Desigualdades, Trabalho Decente e Crescimento Econômico, Cidades e Comunidades Sustentáveis e Consumo e Produção Sustentável. A inserção dos ODS em organizações públicas e em políticas públicas é um desafio e, ao mesmo tempo, uma oportunidade de promover e alcançar inovações em diversos campos, em especial no tecnológico, social, econômico e de gestão. Destaca-se na programação desta quinta, da 06/05, às 17h30, com a participação da Profª. Drª Megg Rayara Gomes de Oliveira, Erika Matheus e a vereadora Filipa Brunelli, a discussão do ODS 5 – Igualdade de gênero, com recorte no tema: transfeminismo e educação. A palestra terá certificação e o formulário para presença será disponibilizado durante o evento. Para fazer a inscrição use o endereço:https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfkLWx5S5LVHKHRYS9CswGgj_tlPp3OJhGHeyEp5–Zr5bB5A/viewform. 

FAMÍLIAS ENDIVIDADAS EM PORTO VELHO ESTÃO 11,4% ACIMA DO ENDIVIDAMENTO NACIONAL

Bateu o recorde histórico o número de famílias endividadas no Brasil no mês de abril deste ano, de acordo com a PEIC-Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), realizada pela CNC-Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo,  que revela que a parcela de brasileiros com dívidas chegou a 67,5% no mês. O percentual representa uma alta de 0,2% em relação a março de 2021 e de 0,9% em relação a abril de 2020. Porém é o  8º mês consecutivo em que o percentual entre as famílias que têm dívidas em atraso caiu, alcançando 24,2% em abril, 1,1 ponto percentual abaixo do apurado no mesmo período de 2020. Também a parcela dos brasileiros que declararam que não terão condições de pagar contas ou dívidas caiu ligeiramente, na comparação mensal, para 10,4%, mas , teve uma alta de 0,5% em relação a abril de 2020. Já em Porto Velho pelo quinto mês seguido o número de famílias endividadas voltou a subir em abril, chegando a 75,2%, o maior percentual desde o início da realização da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em janeiro de 2010. Foi um aumento do endividamento de 1,5% em relação a março (74,1%) e de 35% em relação ao mesmo mês do ano passado.  Segundo ainda a pesquisa realizada pela  Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em conjunto com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia-Fecomércio/RO, a alta  não ocorreu na inadimplência, de vez que o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso caiu  de 39,8%, em março, para  37,4% em abril, ou seja, 6%. O mesmo comportamento se verificou com o total de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes, que caiu de 22,5% (março) para 20% (abril).

MERCADO DE TRABALHO DÁ SINAIS POSITIVOS 

Embora seja um bom sinal o fato de Rondônia ter tido no mês de março último 742 contratações a mais que demissões, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), portanto um saldo positivo de 9,2% e, no trimestre de 2021, gerado 3.090 empregos, cerca de 622% a mais que no mesmo período do ano anterior, quando o saldo foi de apenas 428 novos postos de trabalho, no entanto, não estamos nem sequer recuperando os empregos que se perderam na pandemia. Basta verificar que, segundo os dados oficiais, no período de março de 2020 para cá, o saldo de demissões e contratações ficou negativo em mais de 5,1 mil. Os especialistas no mercado, porém, avaliam que isto é uma subestimação da realidade na medida em que, muitas empresas que fecharam, nem sequer liquidaram seus débitos nem deram baixa nos empregados. De qualquer forma, com a liberação das medidas restritivas, pelo menos, as perspectivas são mais otimistas. 

ABERTURA DE NOVAS EMPRESAS SE MANTÉM NO MÊS DE ABRIL NO AMAZONAS 

Segundo o mais recente relatório do SRM (Sistema Mercantil de Registro), da JUCEA-Junta Comercial do Estado do Amazonas foi registrado o encerramento das atividades de 246 pessoas jurídicas, no mês abril, configurando uma retração de 17,17%  na comparação março (297) e um aumento de 89,23% sobre abril de 2020 (130). Já a abertura de novos empresas (730) caiu 14,52% na comparação com o mês anterior (854) e foi de 163,54% maior em relação ao mesmo mês do ano passado (277). Os dados, porém,  não incluem os microempreendedores individuais, que são constituídos de forma virtual no portal do Empreendedor, do Governo Federal. A melhora da situação da constituição de novas empresas, na comparação com 2020, vem da estabilização da segunda onda de covid-19 e da flexibilização gradual das medidas de isolamento social.  

AUTOR: SILVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

  • A opinião dos colunistas colaboradores não reflete necessariamente a posição da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLÍTICA

TEIA DIGITAL

TEMPO REAL

DIRETO DE ROLIM

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com