Teia Digital

Construção Civil aumenta geração de empregos – Por Sílvio Persivo

Perseguir as coisas que nos fazem felizes é o caminho. “As pessoas deveriam ir atrás do que as faz feliz. Isso as fará ainda mais felizes do que qualquer outra coisa” (Elon Musk). 

VENDAS DE VEÍCULOS CAI NO ESTADO DE RONDÔNIA

Conforme informações divulgadas no portal da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores)  na área de dados regionais as vendas de veículos em Rondônia caíram 17,1% em março (2.677 unidades comercializadas) em relação ao mês de fevereiro (3.218 unidades comercializadas), o que, sem dúvida, reflete as medidas restritivas na economia estadual. No acumulado anual no período a queda é menor (-14,3%) sendo que foram comercializadas 7.823 unidades até março de 2021, enquanto no mesmo período, em 2020, haviam sido vendidas 9.125 veículos. Estes dados levam em conta todos os tipos de veículos, incluindo automóveis convencionais, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas.

ENQUANTO UNS CHORAM OUTROS VENDEM LENÇOS

Enquanto o as falências de empresas, o desemprego, a fome e todo o seu séquito tiram o sossego e provocam estresse nas pessoas, mesmo os que terão direito ao tal do auxílio emergencial, que diga-se de passagem é um pequeno paliativo por seu valor ínfimo, os jornais e meios de comunicação, que tanto defendem as medidas restritivas e seus mantenedores, comentam sobre os novos e maiores bilionários do mundo.  E o grande destaque, sem dúvida, é que salta aos olhos o desempenho dos nossos patriotas, os bilionários do Brasil.   Segundo a revista Forbes, o clube dos abonados subiu de 45 membros, em  2020,  para 65, ou seja, 20 novos membros, dos quais 11 (onze) são brasileiros! Ou seja, a pandemia não é igual para todo mundo e fica evidente a quem beneficia porque a fome está batendo todos os recordes. Certamente não são governadores, prefeitos, autoridades em geral que perdem renda, empregos e passam dificuldades. 

VENDAS DE VEÍCULOS SOBE NO ESTADO DO AMAZONAS

As vendas de veículos automotores, em março, voltaram a subir no Amazonas.  Foram comercializadas 5.337 unidades, no mês passado, 93,51% a mais do que em fevereiro de 2021 (2.758) e 32,99% superior à marca de março de 2020 (4.013). Mas, o trimestre ficou negativo em 15,64%, com 10.241 (2021) contra 12.139 (2020) veículos comercializados. O desempenho do Amazonas veio uma casa decimal acima da média do mercado brasileiro, no mesmo período. Em termos nacionais, as vendas cresceram 8,26% na comparação de março de 2021 (269.944) com o mesmo mês de 2020 (249.357). Em relação a fevereiro de 2021 (242.066), a elevação foi de 11,52%. O acumulado do ano, por sua vez, foi negativo em 6,55%, com as vendas recuando de 841.173 (2020) para 786.083 (2021) veículos. Os dados são do portal da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).  

GOVERNOS ESTADUAIS E PREFEITURAS PROVOCAM QUEDA NO PIB 

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) projeta um crescimento de 3% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de bens e serviços produzidos no país em 2021, com uma queda estimada de 0,5% no 1º trimestre do ano, na comparação com ajuste sazonal. É principal causa é o endurecimento das medidas de isolamento social por parte de governos estaduais e municipais.  Segundo a análise do instituto, também decorrente das medidas da pandemia, outro fator de risco é a aceleração inflacionária acima do esperado no início deste ano e a desvalorização cambial, com impactos nos preços dos alimentos e dos bens industriais. A análise da conjuntura econômica brasileira aponta que no segundo semestre do ano deve haver uma retomada do crescimento do PIB devido ao aumento da confiança de consumidores e empresários a partir do avanço da cobertura vacinal contra a Covid-19.

CONSTRUÇÃO CIVIL AUMENTA GERAÇÃO DE EMPREGOS 

A construção brasileira abriu 46.469 empregos em fevereiro, acumulando no 1º bimestre 87.348 novos postos de trabalho formais. A informação é do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. De março de 2020 a fevereiro de 2021, a construção abriu 133.887 novos empregos, um aumento de 6,01%. Foi o segundo setor que gerou o maior número de postos de trabalho formais nestes 12 meses, atrás da indústria (+175.216 vagas) e na frente de comércio (+117.460), agropecuária (+94.156) e serviços (-107.893).

AUTOR: SILVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

  • A opinião dos colunistas colaboradores não reflete necessariamente a posição da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLÍTICA

TEIA DIGITAL

TEMPO REAL

DIRETO DE ROLIM

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com