Teia Digital

Cenário do Comércio e Serviços será melhor em 2022 – Por Silvio Persivo

Viver é preciso. “A evolução não nos preparou para o mundo em que vivemos” (Daniel Kahneman). 

4º CICLO DE WEBINARS PARA PROJETO DE EXTENSÃO WEBMAT

O Projeto de Extensão Universitária “WebMat: interação e aprendizagem online”, renovado pela Portaria nº 907/2021, está promovendo o 4ª Ciclo de Webinars, com a temática: Novas Transformações & Um Novo Olhar entre os dias 08, 10 a 11 de novembro de 2021. O propósito do projeto é construir um espaço de aprendizagem, capacitação e debates em temas de interesse da comunidade universitária, bem como da população em geral. Os webinars serão ofertados de forma gratuita, basta realizar a inscrição com e-mail válido até o dia 05 de novembro (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSerekkejnraLpObKiX9zrRGy3SA4CxGxmn4Mj14lfs5yTG8pQ/viewform). É permitido se inscrever em mais de um webinar de interesse. Será emitido certificado de participação de 10 horas. A transmissão online será realizada via Plataforma Google Meet (limitada a 250 pessoas), e os convites de acesso às teleconferências serão disponibilizados via e-mail no dia 07 de novembro e também no site do projeto <http://nx.unemat.br/projetos/webmat/>. Fique atento a caixa de entrada do e-mail e/ou caixa de “spam”. A divulgação foi feita pela Diretoria de Pesquisa da UNIR. 

CENÁRIO DO COMÉRCIO E SERVIÇOS SERÁ MELHOR EM 2022

O  comportamento das vendas do comércio e dos serviços, como bem sabem os bons economistas, é determinadp pela demanda dos consumidores. Com o aumento da vacinação e  a ampliação da circulação das pessoas é evidente que houve um incentivo, mesmo que gradativo, para o consumo tanto que a última Pesquisa Mensal do Comércio, do IBGE, mesmo mostrando uma  queda marginal de -3,1% no volume de vendas do varejo, quando bem analisado demonstra que houve um crescimento no volume das vendas em relação aos meses anteriores, bem como uma maior propensão ao consumo de bens duráveis. A explicação para o recuo de agosto se situa, sem dúvida, em grande parte no aumento do IPCA, que atingiu 10,25% em 12 meses. Por mais que a grande imprensa tenha ressaltado, como sempre faz, o lado negativo da recuperação econômica, no entanto, tanto o quadro fiscal, quanto a melhoria líquida dos postos de trabalho apontam no sentido de que, em 2022, tanto a inflação será menor como o aumento do crédito devem impulsionar um consumo maior melhorando o desempenho da economia.

PESCA ESPORTIVA MOVIMENTO MANAUS NO FIM DE SEMANAPo

O último fim de semana foi bem movimentado, em Manaus, com a realização do 7º Torneio de Pesca Amigos do Tarumã feito em uma única etapa o Torneio de Pesca Amigos do Tarumã é a maior competição de pesca da Amazônia. Sua concepção foi idealizada com o objetivo de desenvolver o turismo de pesca esportiva; fomentar a cultura da conservação ambiental dos rios onde são praticados o pesque e solte, e incluir definitivamente o Amazonas no calendário dos grandes eventos de pesca esportiva. O evento propiciou aos competidores duas opções de categorias para as inscrições: por equipe, com dois ou três integrantes em barcos a propulsão; e individual, com somente um integrante em caiaque sem propulsão. Além de praticar a pesca esportiva, os participantes do Torneio ainda concorrem a prêmios valiosos. Como nas edições anteriores, o Torneio vai receber pescadores de vários lugares do país e até do exterior. Mais do que um evento de pesca esportiva, o Torneio mostra as belezas turísticas dos rios da região. Desde a primeira edição, em 2014, já foram dados aos participantes cerca de um milhão de reais em prêmios, e até o início da semana passada 160 pescadores já haviam se inscrito para esta edição. Este torneio, inclusive me despertou a atenção por ser importante para o desenvolvimento e divulgação do potencial da pesca esportiva na região amazônica. Fica a sugestão para a criação de um torneio semelhante em Porto Velho, cujo potencial para a pesca esportiva é indiscutível. 

CERCA DE 10,5 MILHÕES NÃO SACARAM COTAS DO PIS/PASEP

Apesar de estar liberado desde agosto de 2019, o saque das contas dos fundos do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) não tem sido feito por muitos trabalhadores. Segundo a Caixa Econômica Federal, cerca de 10,5 milhões deles ainda não retiraram R$ 23,3 bilhões. As pessoas que possuem direito ao saque trabalharam com carteira assinada na iniciativa privada entre 1971 e 4 de outubro de 1988. Os interessados devem procurar a Caixa Econômica Federal para retirar o dinheiro. O prazo para o saque vai até 1º de junho de 2025. Após essa data, o dinheiro será transferido à União. O saque pode ser pedido no aplicativo Meu FGTS, que permite a transferência para uma conta corrente. A retirada em espécie varia conforme o valor a que o beneficiário tem direito. O saldo pode ser consultado no aplicativo, no site do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou no internet banking da Caixa. Nota com informações da Agência Brasil. 

PROBLEMAS CHINESES FAVORECEM O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

Há muito terrorismo em relação ao agronegócio brasileiro (o maior deles uma suposta queda das compras chinesas). É preciso ver, porém, que a China e a Índia possuem quase a mesma quantidade de habitantes (1,4 bilhão). O curioso é que a produção chinesa de alimentos é mais do que o dobro da indiana, mas, são muito diferentes o consumo entre a China e a Índia no período 2017/2019  (trigo: 125/98 milhões ton.; milho: 278/28 milhões ton.; soja: 104/12 milhões ton.; arroz: 146/100 milhões ton). Ou seja, a China consome dez vezes mais milho, 8,5 vezes mais soja, quase metade a mais de arroz, e 25% a mais de trigo do que a Índia. A razão principal é que a China compra no mercado mundial grandes quantidades desses alimentos. Enquanto a Índia não importa quase nada: sua produção é quase a mesma do consumo. Assim não é de espantar que as projeções são de que a maior consumidora (e importadora) de soja do mundo, com 104,2 milhões de toneladas, a China seguirá comprando muito, pelo menos, até 2030 – das atuais 87 milhões de toneladas deve ultrapassar 110 milhões de toneladas. Idem com o milho (4,2 milhões ton. para 8 milhões ton.), trigo (3,4 milhões ton. para 10 milhões ton.), arroz (3,2 milhões ton. para 5 milhões ton.), açúcar (4,8 milhões ton. para 7 milhões ton.) e algodão (1,7 milhão ton. para 2 milhões ton.). A China deve elevar também as importações de queijos e de manteiga e só tendendo a diminuir um pouco as importações de carnes. Não se trata de uma questão que possa mudar fácil, embora, os chineses procurem fazer isto. É uma questão de necessidade, daí os exportadores e produtores do agronegócio brasileiro não terem receio de que 73% de toda a soja exportada pelo Brasil para a China possa diminuir rapidamente. Isto não garante a receita de US$ 34,5 bilhões no ano passado, todavia, é uma garantia de que as exportações continuaram sendo importante para ambos os lados no horizonte visível. 

AUTOR: SILVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

  • A opinião dos colunistas colaboradores são de sua inteira responsabilidade e  não reflete necessariamente a posição da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com