Resenha Politica

Marcos Rocha e o secretário Fernando Máximo foram às redes sociais alertar para a dimensão do problema dessa segunda onda de contaminação – Por Róbson Oliveira

Os alertas bombaram nas redes sociais. Embora, ano passado, quando ainda seguiam a linha negacionista, os dois criticaram o lockdown que o prefeito da capital baixou para conter a disseminação do coronavírus. Antes tarde do que nunca

DESABAFO 

“Estou ficando ‘aporrinhado’ com tanto negacionismo. Enche o saco mesmo. Todo mundo está vendo a situação que o Brasil vive nesta pandemia. Aí aparece o ‘líder’ deste país, quase ficcional, vadiando com ideias absurdas”, com este desabafo o senador emedebista Confúcio Moura sintetiza a indignação de boa parte dos brasileiros que assistem atônitos o negacionismo presidencial contra o coronavírus, na medida que aumenta exponencialmente o número de óbitos no país.

PLANEJAMENTO 

Ninguém pode se queixar de desconhecimento da crise aguda que colapsou todo o sistema de saúde com o agravamento dos casos de Covid 19. Ano passado, diante de um relatório produzido por especialistas a pedido do CREMERO, que traçou um cenário sombrio de casos e mortes, a maioria das autoridades deu de ombros. Alguns setores, inclusive da imprensa da capital, zombaram e criticaram. Hoje, a realidade ali apontada se impõe e revela que nossas autoridades não planejaram as ações corretamente para combater a pandemia. Muitos, infelizmente, desativaram as UTIs acreditando que o pior havia passado, embora os cientistas tivessem alertado para uma segunda onda. Uma onda que está virando um tsunami.

KIT EMBUSTE 

Mesmo a comunidade científica alertando que o kit Covid (hidroxocloroquina, ivermectina) distribuído por autoridades não tinha serventia nenhuma na prevenção do vírus, tanto o governador de Rondônia, Marcos Rocha, quanto o Secretário de Saúde, Fernando Máximo, foram para ruas da capital distribuir o kit. Seguindo a mesma linha do nosso presidente que nega as recomendações da ciência.

ANTES TARDE DO QUE NUNCA 

Depois de superar a fase negacionista, ao que parece, o governador Marcos Rocha e o secretário Fernando Máximo foram às redes sociais alertar para a dimensão do problema dessa segunda onda de contaminação. As falas são bem elaboradas e com um conteúdo que merece elogios, especialmente porque chama a atenção dos jovens de que a doença não escolhe idade, condição social, raça nem credo para ceifar vidas. Além de que já não há leitos de unidade de terapia intensiva para atender a quantidade imensa de contaminados. Os alertas bombaram nas redes sociais. Embora, ano passado, quando ainda seguiam a linha negacionista, os dois criticaram o lockdown que o prefeito da capital baixou para conter a disseminação do coronavírus. Antes tarde do que nunca…

DESCARTE 

Ao trocar o PP (liderado no estado pela família Cassol) pelo PODEMOS (presidido pelo deputado federal Léo Moraes), a ex-vereadora Cristiane Lopes deixou irritado o patriarca do clã, ex-senador Ivo K-Sol. Lopes perdeu recentemente as eleições para prefeita da capital, mas obteve uma votação surpreendente anabolizada pelo apoio engajado de deputado federal Léo Moraes.

IRRITAÇÃO 

A irritação da “Cassolândia” é em razão do PP ter acreditado na postulação da ex-vereadora a prefeita no momento em que muitos não apostavam em sua viabilidade. Ademais, com a atual regra eleitoral, o desfalque de um nome eleitoralmente denso, afeta os cálculos dos pepistas em apresentar uma nominata matematicamente forte para eleger mais de um deputado federal.

DESABILITADO

Na hipótese da liminar concedida pelo ministro Kassio Marques, que modificou o entendimento do cálculo do cumprimento das sanções da lei da ficha limpa, seja confirmada no plenário do STF – o que esta coluna duvida – o ex-governador K-Sol estaria habilitado a concorrer nas eleições de 2022. Razão pela qual, nos últimos dias, o ex-governador e ex-senador começou a circular nos meios políticos, após o isolamento imposto pela lei que o tornou ficha suja.

GOLPE

Caso a população não atente para as manobras que estão sendo engendradas no Congresso Nacional, será surpreendida com mudanças substanciais das regras que estabelecem as eleições 2022. A famigerada coligação, flexibilização do financiamento de campanha e dos instrumentos jurídicos existentes hoje para prestação de contas serão suavizados ( para não dizer algo mais contundente) visando atender interesses inconfessáveis. Como diria o ministro do Meio Ambiente Sales: enquanto a mídia está voltada para a pandemia, “vamos passando a boiada”. Os deputados são profissionais em tocar o berrante sem que o som ecoe além do necessário. O golpe vem a galope.

ESTIMULANDO 

Um dos políticos que será instado a entrar na disputa pelo Governo de Rondônia é o ex-prefeito de Ariquemes, Thiago Flores. Não há atualmente movimento do ex-prefeito neste sentido, mas é bom não subestimar a capacidade que adquiriu nas urnas em sair vitorioso. Os caciques conhecem bem para onde o vento sopra, mesmo quando os céus mudam de direção inesperadamente. O mesmo assédio já começa a estimular o prefeito da capital, Hildon Chaves. Dois novatos na política que deram certo e vão ser decisivos nas eleições de 2022.

PROTAGONISMO 

O Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia iniciou o ano mostrando a que veio com a nova gestão liderada pelo ex-presidente Nacional do Cofen, Manoel Carlos Neri. Em pouco mais de dois meses na gestão estadual, Neri protagonizou ações firmes na defesa do exercício dos profissionais nesta pandemia inscritos na autarquia e, portanto, fiscalizou os atos administrativos das nossas autoridades de saúde. Um exemplo concreto é o relatório que produziu na vistoria que realizou pessoalmente nas unidades de saúde de Guajará-Mirim, revelando o caos em que se encontra aquela área na pérola do Guaporé. Na presidência do COFEN foi uma voz de referência ouvida pelos principais veículos de comunicação na primeira onda da Covid 19.

OUTRO LADO 

Em razão da coluna da semana passada, quando criticamos a nomeação da ex-prefeita de Cacoal em um gabinete de um parlamentar filiado do Podemos, a direção do partido enviou à coluna sua versão sobre os fatos que em nome do bom jornalismo publicamos na íntegra.

“Na data de ontem, 23 de fevereiro de 2021, foi veiculado junto ao site tudorondonia, a coluna Resenha Política do jornalista Robson Oliveira, onde consta que ‘O PODEMOS, em Rondônia, tem se firmado com um discurso moralista prometendo fazer da política uma atividade limpa. O ato do parlamentar Deiró, até o momento, não recebeu nenhuma censura da direção partidária. Aguardemos!’.

O PODEMOS RONDÔNIA, neste ato representado por seu Presidente Estadual OSCAR DIAS DE SOUZA NETTO, informa que o deputado estadual CIRONE DEIRÓ realmente foi eleito para o cargo nas eleições gerais de 2018 por esta agremiação, porém, em reunião ordinária da Comissão Executiva Estadual, realizada no dia 30/03/2020, foi deliberada a sua desfiliação.

O deputado ingressou junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, com uma Ação Declaratória de Desfiliação Partidária, a qual foi julgada procedente, por unanimidade, para que o mesmo deixe o partido e desde então a direção partidária não mantém qualquer contato com o deputado.

Dessa forma, pelo fato de o PODEMOS/RO ter adotado as medidas para a desfiliação do referido deputado desde o ano passado e não possuir mais qualquer relação com o parlamentar, torna incabível a adoção de qualquer (sic) medidas em face do evento noticiado, por parte desta agremiação partidária.

Registre-se, contudo, que o partido PODEMOS pauta sua atuação com  base nos preceitos republicanos, atuando sempre com lisura com a coisa pública, e não compactua com quaisquer subterfúgios que busquem violar os princípios norteadores da administração pública”.

OSCAR DIAS SOUZA NETTO – PRESIDENTE. 

Em tempo: a mesma coluna também é publicada simultaneamente nos sites: Rondônia Dinâmica, Gente de Opinião, Expresso Rondônia, Folha Rondoniense, Rondônia Notícias, Correio de Rondônia, Painel Político, Mais RO, Que Notícias Ariquemes, Eu Ideal, Chaddad, entre outros.

DOSE DUPLA 

A partir deste mês a coluna passa a ser atualizada nas terças e sextas-feiras. Exceto feriados.

AUTOR: RÓBSON OLIVEIRA –  COLUAN RESENHA POLITICA

  • A opinião dos colunistas colaboradores não reflete necessariamente a posição da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

About the author

Gomes

Add Comment

Click here to post a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

BAIXE NOSSO APLICATIVO

RESENHA POLÍTICA

TEIA DIGITAL

TEMPO REAL

DIRETO DE ROLIM

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PARCEIROS

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com