Mundo

Biden diz que reforma migratória é questão de ‘justiça e humanidade’

Proposta prevê um processo de oito anos para que os 11 milhões de imigrantes indocumentados dos EUA obtenham a cidadania

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu na quinta-feira (18) que seja aprovada o quanto antes o projeto de reforma migratória recentemente levada ao Congresso.

“Estou empenhado em trabalhar com os líderes da Câmara e do Senado para corrigir a negligência da administração anterior e devolver justiça, humanidade e ordem ao nosso sistema de imigração”, declarou Biden em um comunicado.

A proposta de reforma da imigração que o presidente articulou em seu primeiro dia de mandato chegou formalmente nesta quinta ao Congresso, convertida em um projeto de lei impulsionado pelo senador democrata de origem cubana Bob Menéndez e pela legisladora Linda Sanchez, de raízes mexicanas.

O projeto, intitulado Lei da Cidadania dos EUA de 2021, é “um primeiro passo importante para estabelecer políticas de imigração que unam as famílias, cresçam e melhorem a economia e garantam a segurança do país”, considerou o chefe de governo.

A ambiciosa proposta prevê um processo de oito anos para que os 11 milhões de imigrantes indocumentados dos EUA obtenham a cidadania, além de conceder residência legal àqueles que chegaram a território americano como crianças beneficiários do Status de Proteção Temporária (TPS) e trabalhadores agrícolas.

“Esta legislação que enviei ao Congresso trará mudanças muito necessárias a um sistema de imigração que há muito tempo precisa de reforma”, enalteceu Biden.

O presidente lembrou que, além de criar um caminho de cidadania para os imigrantes indocumentados que já estão no país, o projeto de lei administrará a fronteira com o México através de investimentos que ele classificou como “inteligentes”, além de abordar as causas fundamentais da migração irregular da América Central.

“Estas não são prioridades democráticas ou republicanas, são prioridades americanas. Apresentei minhas ideias sobre o que será necessário para reformar nosso sistema de imigração e estou ansioso para trabalhar com líderes no Congresso para conseguir a lei aprovada”, finalizou.

A tentativa é a mais ambiciosa de impulsionar a reforma da imigração desde 2013, quando o projeto de lei incentivado pelo então presidente Barack Obama, com Biden como vice-presidente, fracassou na Câmara dos Deputados, apesar de ter obtido a aprovação do Senado.

O atual chefe de Estado terá dificuldades para conseguir que o Congresso aprove sua proposta desta vez, já que os democratas têm maiorias muito estreitas em ambas as casas e teriam que convencer pelo menos dez republicanos no Senado.

FONTE:  EFE

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com