Interior

MACHADINHO DO OESTE: Governo de Rondônia lança programa “Agroleite”; cerca de 3 mil produtores serão beneficiados

O “Agroleite” vai beneficiar quase três mil produtores de leite dos 52 municípios de Rondônia

O município de Machadinho d’Oeste, um dos maiores produtores de leite do Estado, foi palco do lançamento do programa Agroleite realizado pelo  Governo de Rondônia, na quinta-feira (12), na sede regional da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri). O governador Marcos Rocha fez o lançamento oficial na presença de produtores rurais, prefeitos da região do Vale do Jamari e demais representantes de associações envolvidos na cadeia produtiva do leite. O “Agroleite” vai beneficiar quase três mil produtores dos 52 municípios do Estado.

“O ‘Agroleite’ vai permitir que nossos produtores, principalmente os pequenos, tenham assistência técnica e acesso às tecnologias necessárias e assim possam produzir mais e com  qualidade”, enfatizou o governador Marcos Rocha.

O “Agroleite” é uma iniciativa do Poder Executivo, sendo desenvolvido pela Seagri, aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento do Agronegócio Leite do Estado de Rondônia (Condalron), em parceria com a Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Estiveram presentes ao evento, os deputados estaduais Luizinho Goebel, Marcelo Cruz, Cirone Deiró.

Casal Luciene e Elis Pimenta acompanha o lançamento do programa 

O presidente da Emater, Luciano Brandão, esclareceu que o programa é um marco para a pecuária rondoniense. “O governador definiu que fosse utilizado o recurso do Fundo de investimento e Apoio ao Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira de Rondônia (Fundo Proleite), em pesquisas e tecnologias, para apoiar os produtores do setor, e hoje estamos lançando o ‘Agroleite’, onde os produtores rurais terão toda a assistência”, destacou Luciano Brandão.

O casal Lucilene Faria Pimenta e Elis da Silva Pimenta atua há 14 anos na criação de gado leiteiro, em uma propriedade na região de Machadinho d’Oeste. Com 22 vacas, o casal produz três mil litros de leite por mês. “Nossas terras são fracas e precisam de investimento. Com pasto bom, podemos produzir de 140 a 180 litros por dia. Estamos aqui para conhecer o programa e esperamos que, com o apoio do Governo do Estado, possamos aumentar nossa produção para quatro mil litros de leite por mês”, comenta Lucilene.

Atraído para saber como serão desenvolvidas as ações do “Agroleite”, o produtor rural Natalino Pereira, de Cujubim, esteve o tempo todo com olhos atentos durante a explanação sobre o programa. Segundo ele, a produção de leite de sua propriedade gira em torno de 70 a 80 litros por dia. “Hoje, uso muito gado para produzir leite. Minha esperança é que, com essa tecnologia e assistência do Governo, por meio da Emater, eu possa utilizar menos gado e ter mais leite”, afirma.

Conforme o secretário da Seagri, Evandro Padovani, por meio do “Agroleite”, o Governo do Estado pretende fazer com que, nos próximos cinco anos, ocorra o aumento da produção do setor em Rondônia, além de ressaltar que pode ser de forma gradual e com qualidade.

Durante o lançamento do “Agroleite”, o governador Marcos Rocha fez também a entrega de botijas de nitrogênio a produtores rurais de Machadinho d’Oeste. O nitrogênio é usado no armazenamento de sêmen para melhorar a qualidade genética do rebanho. O material foi adquirido com recursos do “Proleite”.

Natalino Pereira veio de Cujubim para conhecer as vantagens do Agroleite

O chefe do Executivo Estadual destacou ainda a união dos esforços das prefeituras, associações e da Assembleia Legislativa que tem apoiado o Governo de Rondônia com a aprovação de projetos do Executivo e emendas parlamentares para investir no crescimento do Estado.

“Esse é um Governo que está fazendo a diferença. Com o corte de despesas e de forma transparente, tem investido em áreas que proporcionam o desenvolvimento do Estado, como é o caso da agroindústria, que é muito forte em Rondônia”, elogiou deputado estadual Marcelo Cruz.

DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES

As ações do programa são voltadas para o aperfeiçoamento profissional e gerencial; pesquisa e transferência de tecnologia; aplicação de práticas modernas e agregação de valor, visando a ampliação e acesso a novos mercados de forma sustentável, por meio de três projetos complementares: Transtec-Leite; Inovatec-Leite e Consultec-Leite. Juntos, o investimento na cadeia produtiva do leite rondoniense é de aproximadamente R$ 28 milhões do Fundo Proleite.

O prazo de execução dos projetos é de cinco anos e cada um tem suas especificidades. O Transtec está sendo executado em parceria com a Embrapa em Rondônia, por meio de pesquisa científica, validação e transferência de tecnologias voltadas para a melhoria de eficiência dos sistemas de produção de leite no Estado.

Botijas de nitrogênio foram entregues pelo Governo do Estado

Para a execução do Transtec vão ser investidos R$ 3.203.493,00 (três milhões, duzentos e três mil e quatrocentos e noventa e três reais). Em 2020 foram investidos R$ 993.403,00 (novecentos e noventa e três mil e quatrocentos e três reais). A previsão de investimento para 2021 é de R$ 706.618,00 (setecentos e seis mil, seiscentos e dezoito reais).

O Inovatec é realizado em conjunto com o Sebrae. Ele propõe ações voltadas para o desenvolvimento da inovação e tecnologia na atividade leiteira, buscando a criação de um ecossistema de melhoria continuada, por meio de incentivo da educação empreendedora no campo e no desenvolvimento de eventos mais assertivos, modernos, atraentes às novas gerações ligadas à família do produtor, gerando valor aos atores da cadeia produtiva. O investimento está orçado em R$ 8.610.235,00 (oito milhões, seiscentos e dez mil, duzentos e trinta e cinco reais). Para este ano, devem ser investido mais R$ 1.722.047,00 (um milhão, setecentos e vinte e dois mil, quarenta e sete reais).

Entre as metas do Inovatec estão: atender até 250 produtores com biotecnologia de fertilização in vitro para reprodução de bovinos leiteiros até 2.500 prenhezes (estado de gestação) positivas e atender até mil produtores com biotecnologia reprodutiva inseminação artificial em tempo fixo, com até 30 mil concepções com sêmen sexado de fêmea (produção proposital).

Já o Consultec, executado pela Emater, visa desenvolver a cadeia produtiva da bovinocultura leiteira com consultorias e capacitação continuadas com extensionistas para prestar assistência em gerenciamento financeiro e zootécnico em mais de duas mil propriedades rurais que atuam no setor em Rondônia. Serão investidos no projeto R$ 16.038.136,85 (dezesseis milhões, trinta e oito mil, cento e trinta e seis reais e oitenta e cinco centavos). Para este ano, a previsão de investimento é de R$ 7.201.319,27 (sete milhões, duzentos e um mil, trezentos e dezenove reais e vinte e sete centavos).

O Consultec prevê a contratação de empresa especializada na metodologia do Programa Balde Cheio da Embrapa, visando capacitações de extensionistas da Emater e produtores rurais durante a vigência do projeto, além de realizar consultorias em gerenciamento financeiro e zootécnico, na metodologia do Programa Balde Cheio para até 2.220, com atendimento mínimo de uma visita por mês.

FONTE: SECOM/RO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com