Interior

GUAJARÁ-MIRIM: Sedam e comunidades extrativistas da Resex Rio Pacaás Novos debatem implementação de projetos sustentáveis

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), participou de uma reunião em Guajará-Mirim para debater a implantação de projetos sustentáveis que irão proporcionar melhorias no desenvolvimento social e econômico da região. A iniciativa faz parte das metas do Estado para incentivar o conhecimento ambiental e atividades conscientes, autossustentáveis e produtivas em reservas extrativistas. Com isso, a Sedam tem buscado medidas para fortalecer o turismo e o desenvolvimento ambiental dentro das reservas extrativistas, incentivando a conservação e o desenvolvimento ecológico, junto a Superintendência Estadual de Turismo (Setur).

A reunião, realizada na Secretaria Regional da Casa Civil, teve como foco principal discutir projetos sustentáveis que já estão sendo desenvolvidos e implementados em algumas reservas extrativistas do Estado, como o Projeto de Carbono e o Manejo sustentável elaborado na Resex Rio Preto Jacundá, localizada em Machadinho do Oeste.  O objetivo da Sedam é viabilizar um diálogo com a comunidade local e os órgãos de proteção ambiental, com o intuito de aumentar as ações coletivas.

Servidores da Sedam ouviram as propostas da comunidade

O secretário executivo regional de Guajará-Mirim, Flávio Derzete da Mota,  destacou a preocupação do governador Marcos Rocha em ter aproximação com os povos da floresta e as comunidades extrativistas que vivem no entorno do Rio Pacaás Novos. “Ouvimos os produtores rurais e pudemos colher as manifestações da necessidade de aberturas de estradas vicinais e energia elétrica, haja vista que pequenas agroindustriais estão querendo se instalar nas reservas. O governador Marcos Rocha e o secretário Marcílio Leite estão atentos às reivindicações das comunidades extrativistas”, afirmou o secretário.

Uma das propostas apresentadas pelos moradores da comunidade extrativista de Pacaás Novos foi a solicitação para abertura das estradas vicinais, que vai trazer melhoria no acesso às comunidades extrativistas. Hoje, este acesso é feito, em sua maioria pelo rio Pacaás Novos. No verão amazônico, a viagem entre Guajará-Mirim e as comunidades extrativistas pode durar até três dias.

Além de facilitar o acesso dos ribeirinhos, vai possibilitar a implantação da rede de energia elétrica até as comunidades. A abertura de estradas agilizará os  procedimentos logísticos de apoio a saúde, o comércio de produtos da agricultura familiar e da floresta, potencializando assim o turismo local.

O presidente da Associação Primavera e representantes das comunidades extrativistas, Ronaldo Ferreira Lins, elogiou a iniciativa do governador Marcos Rocha, em incentivar a implantação dos projetos sustentáveis de carbono e manejo florestal da madeira; e do secretário Marcílio Leite, em ouvir as lideranças e buscar soluções para os pleitos apresentados.

A reunião contou com a participação das comunidades de Primavera, Encrenca, Boa Vista, Santa Margarita e Santa Isabel. As comunidades 90 e Nova Brasília participaram de forma on-line. Estiveram presente o secretário da Sedam, Marcílio Leite; a assessora de ações turísticas da Setur, Márcia Dunice; o coordenador de turismo da Setur, Willian Souza; a gerente da Emater/RO em Guajará-Mirim, Geuzenira Souza; o coordenador de unidades de conservação da Sedam, Fábio França;  a assessora de governança climática, Letícia Andrade; a assessora de descentralização ambiental, Suelen Gregório da Silva e a assessora especial para Gestão da Unidade de Conservação, Daniela Moreira dos Santos.

FONTE: SECOM/RO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com