Geral

UPA da Zona Leste de Porto Velho que passa por reforma será reaberta no sábado

Anúncios

O secretário municipal de Saúde, Domingos Sávio, realizou uma coletiva de imprensa, na manhã desta quinta-feira (02), para explicar sobre os serviços de reformas que estão sendo realizados na UPA Zona Leste, que será reaberta no próximo sábado. Na ocasião, discorreu também sobre os serviços que serão efetivados em todas as unidades da rede municipal de saúde, até dezembro deste ano.

Sávio disse que a reforma vem sendo implementada nos últimos sessenta dias. “Primeiro, realizamos o trabalho externo, depois, em acordo com os servidores, passamos aos trabalhos internos. Tivemos algumas dificuldades, mas hoje ela está praticamente pronta”, informou.

Segundo o secretário, a reforma se mostrava de grande necessidade porque desde sua abertura, em 2012, muitos problemas estruturais já eram observados. Explicou que a UPA foi construída como de Porte III, mas foi regulada pelo Ministério da Saúde como de Porte II. “O que isso significa? Significa que apenas sessenta por cento dos valores gastos mensalmente são repostos pelo Ministério da Saúde, sendo os outros quarenta por cento por conta do município. Esse custo tem sido mantido pelo prefeito Mauro Nazif, a fim de que ela continue nessa forma de funcionamento”, esclareceu.

Entre as diferenças de uma UPA II para uma UPA III existem pontos como a quantidade ofertada de atendimentos, de leitos disponibilizados e de médicos nos plantões. Segundo a regulamentação, uma UPA de Porte II deve atender a trezentos pacientes/dia, ter onze leitos, quatro médicos nos plantões diurnos e dois médicos nos plantões noturnos. Uma UPA de Porte III deve atender a quinhentos pacientes/dia, ter de dezoito a vinte leitos, cinco médicos para os plantões diurnos e cinco médicos para os plantões noturnos. “É assim que essa UPA funciona. Inclusive, já chegamos a atender aqui mais de seiscentos pacientes/dia. Mas, para isso, a Prefeitura precisa cobrir a diferença nos custos”, disse o secretário.

A UPA Zona Leste precisou permanecer dez dias parados, por causa das reformas internas. “Sabemos que isso causou grande desconforto à população. Em nome do prefeito, inclusive, pedimos desculpas por isso, mas eram muito necessárias essas reformas. Havia graves problemas, agora, conseguimos arrumar toda a parte elétrica, a parte hidráulica, melhorar a iluminação, a pintura, substituir mobílias e equipamentos, enfim, muitas coisas foram trocadas. Muitas salas, nas quais os médicos precisavam de mais privacidade para o atendimento, não havia portas, como também não havia em certas salas onde os pacientes precisavam de privacidade para serem medicados. Portanto, não fizemos retoques, realizamos uma manutenção geral”, destacou Sávio.

No próximo sábado (04), a equipe toda da UPA Zona Leste volta a atender. As próximas unidades a passarem por reformas serão o CEM, o SAE, a Unidade Aponiã e a UPA Zona Sul. “Essas unidades estão em primeira colocação na fila, mas vamos reformar todas as nossas unidades até o final de dezembro deste ano. A reforma da Maternidade Municipal se anuncia como mais complicada. Já estamos conversando com a Promotora Pública Luciana Nicolau, com a qual acertamos que a reforma será feita depois de uma discussão com a Secretária de Estado da Saúde, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público Estadual, conselhos regionais de Medicina, Enfermagem, Farmácia, enfim, vamos reunir todos os conselhos e os diversos órgãos públicos que, de alguma forma, possam estar implicados com a questão. A Maternidade não vai parar, vamos alugar um prédio para os procedimentos de parto normal e os partos em cesariana serão encaminhados para o Hospital de Base. O que é importante destacar é que todas as nossas unidades passarão ainda neste ano por importantes reformas”, finalizou.

Por Renato Menghi | Fotos: Medeiros

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
Tags
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com