Geral

Por ordem do STF, polícia suspende reintegração em fazenda em Nova Mutum em Rondônia

Operação Nova Mutum, iniciada pelo estado no dia 19 de outubro, visa retirar camponeses de fazendas invadidas na região de Abunã.

O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que a Polícia Militar (PM), através da Operação Nova Mutum, não faça mais a reintegração de posse na fazenda onde policiais foram mortos a tiros há um ano, durante uma emboscada em Porto Velho.

A Operação Nova Mutum começou no último dia 19 de outubro, terça-feira, e tem o objetivo de cumprir mandados de reintegração de posse em 8 fazendas com conflitos agrários, entre elas a propriedade onde dois PM’s foram assassinados em outubro do ano passado.

No entanto, na última quinta-feira (21), uma liminar da ministra Cármen Lúcia (STF) determinou que a PM suspenda a reintegração da área dessa fazenda até o julgamento da ação.

Em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (22), o coronel da PM-RO, Alexandre Luis de Freitas Almeida, diz que vai acatar a decisão da ministra, porém o estado deve tentar reverter a ordem judicial.

Motivo da operação

Ainda segundo o comandante da PM, a operação foi deflagrada com objetivo de retirar invasores que estariam cometendo diversos crimes nas propriedades invadidas.

Entre as principais atividades ilegais, apuradas pela operação, estão desmatamento, morte de gado e venda clandestina de lotes.

“É muito crime ambiental, áreas devastadas, com extração de madeira e venda de lotes, sem nenhum tipo de documentação, fazendo com que mais famílias (às vezes de boa índole e inocência) juntasse todo seu recurso financeiro e aplicasse em algo que seria ilegal. Havia necessidade da PM fazer uma ação no local”, diz.

O foco da ação, coordenada pela Polícia Militar (PM), deve ficar principalmente na região de Abunã, região com frequentes casos de invasões de propriedades, vítimas torturadas e executadas.

A PM diz que a Defensoria, psicólogos e médicos PM’s estão acompanhando a operação para dar suporte às famílias que estão sendo retiradas das fazendas invadidas.

Os camponeses retirados das áreas invadidas estão sendo levados para a Vila da Penha, na Escola Santa Lúcia.

A operação está programada para se estender até o dia 25 de outubro, podendo ser prorrogada.

Dos 7 mandados autorizados para a operação, apenas a fazenda onde houve ataque contra os policiais não vai poder ser reintegrada.

FONTE: G1 RO –  GLOBO.COM

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com