Direto de Rolim

Moradores de Rolim de Moura reclamam da intensa poeira causada pelo asfaltamento das ruas da cidade – Por Fernando Garcia

Revoltadas

A cidade de Rolim de Moura, estimada com mais de 800 quilômetros de ruas e avenidas, sendo que menos da metade foram contempladas com asfalto, assim mesmo, de péssima qualidade, onde nessa época do ano de intenso calor e muita poeira, os moradores sofrem com a falta de pavimentação. Sem uma frota de caminhões pipas para molhar as ruas afetadas pela poeira, as donas de casas são as que mais reclamam da poeira, que além de sujar as casas no período de 24 horas, também mancham totalmente as roupas lavadas no cotidiano, o que irritam bastante as chefes dos lares.

Muitos problemas

Além da poeira que traz sérios incômodos para as diretoras do lar, as queimadas por parte de alguns vizinhos, tem causados sérios aborrecimentos, que somados à poeira gera uma série de fatores, causando transtornos para quem tem crianças e idosos que sofrem com bronquite. Esse procedimento de queimadas em quintais e em frente das casas, tem gerado fortes discussões e inimizades entre vizinhos, que não respeitam o direito do outro, outros vizinhos suportam todos os dissabores para não entrar em encrenca, aguardando que a fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente, tome um posicionamento mais concreto percorrendo os bairros, principalmente depois das 17 horas, onde esses incendiários costumam fazer essas práticas abomináveis nos dias de hoje.

Precisa rever

Uma prefeitura do porte de Rolim de Moura, precisa ter uma sala de imprensa compatível com a realidade. É sofrível aquele local de trabalho que mede mais ou menos uns dois metros por três de comprimento, não suportando mais do que três pessoas de feições menos avantajadas. A comunicação é imprescindível para a realização de um bom trabalho, é primordial para que a imagem do prefeito ou da administração, juntamente com seus auxiliares direto, fluam de forma a eclodir as tarefas desempenhadas do dia-a-dia, pelo corpo administrativo. Rolim de Moura, sempre foi e será uma cidade de referência no contexto estadual, inclusive federal, quando tivemos dois senadores e dois deputados federais, numa cidade que na época tinha menos de 30 mil eleitores. Infelizmente observamos um jornalista cobrindo todas as demandas, na área rural e urbana, que sem auxílio de um repórter, ficou até difícil fazer um material mais amplo sobre o aniversário de Rolim de Moura.

Agilizar

O retorno das obras que foram paralisadas em 2019, começaram, mas de forma lenta e, vários bairros da cidade ainda estão do mesmo jeito que as empresas deixaram. O bairro São Cristovão, precisa com urgência pelo reinício das obras, principalmente a rua Capibaribe, que passa beirando o colégio Carlos Drumont de Andrade, e a poeira não dá sossego as centenas de alunos, que irão frequentar durante o dia e a noite o estabelecimento de ensino. Em outros bairros próximo ao São Cristovão, algumas ruas até já receberam camadas asfálticas e, a população está aplaudindo a continuidade das obras. Enquanto isso, o Tchau Poeira, programa lançado há mais de um mês pelo Governo do Estado em Rolim de Moura, parece que esqueceu do combinado com à população ou está aguardando as chuvas se abaterem sobre Rolim de Moura, para depois iniciar ano que vem no período eleitoral.

Não escutam

Até final dos anos 80, era normal observar dezenas de pessoas tomar banho no principal rio, que corta a cidade na capital da Zona da Mata. O rio Anta Atirada, era tido como o balneário principal para todas as camadas da sociedade, nos dias de sábado e domingo à tarde era à alegria dos banhistas em pleno centro da cidade, onde crianças, jovens e adultos curtiam o tradicional calor da cidade. Bons tempos, e esse apreciador de farinha seca e acarajé apimentado, vivenciou esses momentos importantes do nosso glorioso Anta Atirada, que durante esses mais de trinta anos, vem sofrendo com a escalada de despejos fecais e outros não desejáveis, eliminando vários tipos de peixes que na época eram fáceis de encontrar. Sem saneamento básico fica difícil manter ainda algumas espécies de peixes, o rio Anta Atirada, pede socorro há mais de três décadas, infelizmente os ouvidos se fazem de moucos.

Cadê o legislativo

A Câmara de Vereadores, e o poder executivo de Rolim de Moura, precisam tomar medidas enérgicas contra a empresa responsável pelo abastecimento de água potável na cidade, Águas de Rolim. O combinado feito nas dependências do gabinete do prefeito na época, eram de investimentos pesados para solucionar os transtornos vividos pela população da capital da Zona da Mata, mas, decorridos mais de três anos, não foi constatado nada de avanço para melhorar a distribuição do líquido precioso, nem tampouco a expansão da rede para parte significativa dos moradores, que sofrem pela omissão da empresa que fez compromissos, mas esqueceu de entregar.

Providências

A empresa Águas de Rolim de Moura, que assumiu a Caerd, acerca de três anos até hoje não disse o que veio fazer na cidade de Rolim de Moura, pois, até o momento não conseguiu imprimir ritmo de trabalho a contento da população. A empresa que tinha previsão de aportar milhões de reais no município, para melhoria no abastecimento e saneamento básico, ao que tudo indica esqueceu de suas metas para com o município, embora, demonstre muita rigidez quando o assunto é corte no fornecimento do H2º. A falta de investimentos por parte das Águas de Rolim de Moura, constantemente a população é surpreendida pela falta de abastecimento e constantes anúncios, de que ocorreu uma avaria e que em breve o atendimento será retomado, deixando as donas de casas em situação caótica.

Turma do acarajé

Para os que gostam de criticar os baianos por serem lentos ou quase parando, o recado foi dado na Olimpíada de Tóquio, onde o Brasil conquistou 7 medalhas de ouro, sendo que quatro medalhas foram cravadas pelo pessoal da terra de Rui Barbosa e Castro Alves. Só para não esquecerem, Ana Marcela Cunha, maratona aquática, Hebert Conceição, boxe, Isaquias Queiroz, canoagem de velocidade e Daniel Alves campeão olímpico com futebol masculino. Tudo isso porque baiano é devagar demais, imaginem se fossem rápido. Essa turma da farinha e do acarajé com dendê, botaram para derreter e, tchau obrigado, até a próxima em terras napoleônicas.

Candidaturas majoritárias

As eleições para o ano que vem, estão sendo recheadas de endrôminas políticas, sendo que muitas opiniões no momento não passam de delírios, onde tudo só será possível fazer algumas análises, após algumas votações que obviamente passarão pelo Congresso Nacional. Vejam bem, que até a proposta do retorno às coligações vem ganhando corpo e, assim, diversos palpites surgem de uma hora para outra, como o novo voto se adequando ao distritão. Em Rondônia não seria diferente vivenciar esse contexto, que afinal, todos que já estão investidos de mandatos se auto proclamam como pré-candidatos, embora não dizem que se a reeleição ou a outros cargos diferentes. Virou moda em Rondônia, candidatos com mandatos, alardearem que suas pretensões políticas é serem candidatos ao Senado, talvez cientes de suas dificuldades à recondução, querem sair com argumentos caso não sejam eleitos.

Momento político

O ex-senador Expedito Júnior, vem mantendo-se firme quando a pergunta é se sairá candidato ao Senado ou Governo do Estado, não tem hesitado, garante que será ao Senado. Como diz o adágio popular, que conversa de político pode mudar tudo durante a sobremesa, ao que tudo indica dessa vez, que não vai precisar de águas debaixo da ponte e, sim, uma ponte bem construída para que se possa atravessar o outro lado do rio. Por três vezes colhendo resultados pífios como candidato ao Governo, mesmo saindo ao Senado, também não encontrarás nada de facilidades, visto que outros nomes de densidade eleitoral na capital e interior, não querem atravessar o rio a nado e, sim passando por cima da ponte onde certamente querem evitar cansaços e obstáculos, mas, tudo vai depender das decisões do Poder Central.

Subterfúgio

Depois de tanto disse me disse, até que enfim, a votação na Câmara de Vereadores, aconteceu nessa segunda feira dia (9), sustentando o nome do vereador Sidnei Furtunato, popularmente conhecido como Sidnei da 200. Esse acordo já teria sido mantido desde a primeira eleição, quando houve as conversações nesse sentido, onde na primeira eleição teve a participação da vereadora Juliana Antunes, (Podemos) que inclusive votou em Claudinho da Cascalheira, para presidente da Casa de Leis. Não deu para entender porque a vereadora Juliana Antunes, agiu como uma desertora sabendo que haveria a eleição para a Presidência da Mesa, usando as mesmas táticas de políticos que não querem chamar e assumir a responsabilidade. Eleitores não engolem mais essas estratégias de viagens de última hora, atestados médicos ou coisas semelhantes simplesmente por uma razão de pretexto..

AUTOR: FERNANDO GARCIA  –  COLUNA PORTA ABERTA

* A Opinião dos colunistas colaboradores são de sua inteira responsabilidade não reflete necessatiamente a posição da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com