Cidades

‘Esse truque não engana ninguém’, diz Miriam Leitão sobre superávit

Anúncios

“Governo pede ao Congresso para abrir brecha para descumprir meta de superávit. Desde 2000, governo não entra no ‘cheque especial’.

Não é mesmo uma boa solução. O que o governo está pedindo ao Congresso para ele descontar, ao todo, R$ 130 bilhões de um superávit de R$ 16 bilhões. Na prática, ele está pedindo o direito de ficar com déficit primário.

O que é isso? É mais ou menos como se você gastasse todo seu salário e não for suficiente para cobrir as contas do mês e você tivesse que entrar no cheque especial. O que o governo está fazendo é pedindo ao Congresso para entrar no cheque especial. E isso é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, isso nunca aconteceu desde 2000, quando a lei foi aprovada. Existem punições para quem não cumpre essa lei.

E ao contrário do que o governo disse, não é que está caindo a arrecadação. Ela está aumentando, só que as despesas estão crescendo muito mais. E tem mais um detalhe: no balanço do Banco do Brasil está a informação de que o Tesouro deve ao Banco do Brasil R$ 10 bilhões, outra proibição da Lei de Responsabilidade Fiscal. Um banco público não pode financiar um governo. Isso está escrito.

O governo não conseguiu economizar nada. Era preferível que ele dissesse que não conseguiu economizar nada em vez de fazer esse truque que não engana ninguém.

Como fica a imagem do Brasil no exterior?

Mais importante que a imagem do Brasil é o fato de as agências que classificam risco da dívida brasileira estão de olho no Brasil e nessas contas. Elas não acreditam nessas contas como os economistas brasileiros também não, e todos nós sabemos como ela estão sendo feitas.

O Brasil teve um rebaixamento por uma das agências, e outra colocou o Brasil em perspectiva negativa. Isso é mais do que a imagem, na verdade, porque se a gente for de novo rebaixado, isso não vaio acontecer agora no começo, mas ao longo do ano se o governo não mostrar no novo mandato uma decisão de mudar a situação pode ser rebaixado.

Se o Brasil perder o grau de bom para investimento isso significa que qualquer empresa ou qualquer ente federativo do Brasil que for pedir empréstimo internacional vai pagar muito mais caro e tem muito menos dinheiro entrando no Brasil. Isso é preocupante. É mais do que uma imagem e sair bem na foto, mas é o preço que você paga nos empréstimos que encarecem muito.

 

 

Fonte: G1

 

 

 

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
Tags
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com